Dilma só ganhou em três Estados; veja como foi o impeachment na sua região

Do UOL, em São Paulo

Começou com uma goleada por 7 a 1 entre os deputados de Roraima. Mas não foi apenas essa. A presidente Dilma Rousseff acumulou uma série de derrotas na votação do impeachment na Câmara, sendo que em dois Estados perdeu com 100% dos votos (Amazonas e Rondônia).

No final, viu 367 deputados votarem a favor do impeachment (eram necessários 342 para o caso ir ao Senado).

Apenas em três Estados a presidente conseguiu ver o voto contra o avanço do impeachment vencer: Bahia, Amapá e Ceará.

Na Bahia, foi onde obteve o melhor resultado: 22 'não' contra 15 'sim'. Houve 2 abstenções.

Clique aqui para ver como cada um dos deputados votou.

No Amapá, que tem 8 deputados, Dilma contou com quatro votos. Houve uma abstenção.

No Ceará, o 17º. a votar, o contra ficou com 11 votos, e o sim teve nove. Houve uma abstenção e uma ausência.

No Acre e no Piauí, deu empate: 4 x 4 e 5 x 5, respectivamente.

Em alguns Estados a derrota de Dilma foi por 100%, casos do Amazonas e Rondônia. Cada um tinha direito a oito votos.

Já em outros, apesar de haver votos contra a abertura do impeachment, a derrota também foi forte. Casos de Santa Catarina (14 x 2), Paraná (26 x 4), Goiás (16 x 1), Distrito Federal e Rio Grande do Norte (7 x 1) e Pernambuco (18 x 6 e uma abstenção). Foi de Pernambuco que acabou saindo o voto que garantiu a vitória do 'sim'.

Tocantins e Mato Grosso viram seus deputados darem seis de seus oito votos a favor da continuidade do impeachment.

SP, Rio e Minas

São Paulo viu 57 de seus 70 deputados votarem a favor do impeachment, entre eles os artistas Sérgio Reis (PRB) e Tiririca (PR) pela saída de Dilma.

No Rio, Estado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, a vitória do 'sim' também foi grande (34 a 11, com mais uma ausência). Jean Wyllys (PSOL) fez acusações contra Cunha, diz que foi provocado e cuspiu em Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Glauber Braga, também do PSOL, aproveitou o momento do seu voto e chamou Cunha de gângster.

Em Minas, segundo maior colégio eleitoral, Dilma sofreu outra forte derrota: 41 a 12.

Veja como foi o placar em cada um dos Estados e mais o Distrito Federal, pela ordem de votação (à esquerda os votos pelo sim e à direita o não):

Roraima: 7 x 1

Rio Grande do Sul: 22 x 8 (1 abstenção)

Santa Catarina 14 x 2

Amapá: 3 x 4 (1 abstenção)

Pará: 10 x 6 (1 abstenção)

Paraná: 26 x 4

Mato Grosso do Sul: 5 x 3

Amazonas: 8 x 0

Rondônia: 8 x 0

Goiás: 16 x 1

Distrito Federal: 7 x 1

Acre: 4 x 4

Tocantins: 6 x 2

Mato Grosso: 6 x 2

São Paulo: 57 x 13

Maranhão: 10 x 8

Ceará: 9 x 11 (1 abstenção e 1 ausência)

Rio de Janeiro: 34 x 11 (1 ausência)

Espírito Santo: 8 x 2

Piauí: 5 x 5

Rio Grande do Norte: 7 x 1

Minas Gerais: 41 x 12

Bahia: 15 x 22 (2 abstenções)

Paraíba: 9 x 3

Pernambuco: 18 x 6 (1 abstenção)

Sergipe: 6 x 2

Alagoas: 6 x 3

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos