Vaccari, ex-tesoureiro do PT, é condenado a 9 anos de prisão por corrupção

Do UOL, em São Paulo

  • Lula Marques/Folha imagem

Em mais um processo da operação Lava Jato, o juiz federal Sergio Moro condenou o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto a nove anos de prisão e ao pagamento de uma multa de R$ 420 mil pelo crime de corrupção passiva. A sentença foi divulgada nesta quarta-feira (18).

De acordo com a decisão, Vaccari participou do esquema de desvio de dinheiro da diretoria de Serviços e Engenharia da Petrobras em que se envolveram o ex-diretor Renato Duque e o gerente Pedro Barusco. "A prática do crime de corrupção envolveu o pagamento de R$ 46.412.340,00, um valor expressivo. Um único crime de corrupção envolveu pagamento de cerca de R$ 28 milhões em propinas. Mesmo considerando que João Vaccari Neto não recebeu esses valores, os acertos se faziam com sua participação", escreveu Moro na sentença.

Além de Vaccari, o juiz condenou o ex-ministro José Dirceu e outras nove pessoas. Dirceu foi condenado a 23 anos e 3 meses de reclusão.

O ex-tesoureiro do PT está preso e já tem uma condenação na Lava Jato. No primeiro processo em que foi julgado, ele foi condenado a 15 anos e 4 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. No processo cuja sentença foi divulgada hoje, ele também era acusado de lavagem de dinheiro, mas acabou absolvido.

Moro sugeriu que as penas de Vaccari podem ser unificadas e determinou que, inicialmente, o ex-tesoureiro deve ficar em regime fechado.

Veja quem é investigado na Lava
Jato
Veja Álbum de fotos

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Leia mais

UOL Cursos Online

Todos os cursos