Em evento com Haddad, Lula diz que está curado do câncer na garganta

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse que está curado do câncer. "Eu, no sábado (3), fui fazer o penúltimo check-up do câncer na minha garganta e eu tive a felicidade de ouvir dos médicos e das máquinas que eu não tenho mais sinal do câncer na garganta", falou o petista.

Na noite desta sexta (9), Lula participou do evento "Haddad e Lula em defesa dos Trabalhadores - Contra a Jornada de 12 horas! Nenhum direito a menos!", realizado pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região.

"Mas os médicos me disseram que, para curar a minha garganta, não tem remédio: eu preciso parar de falar. Pelo menos, um tempo, eu tenho que sossegar e ficar sem falar", disse Lula ao público.

O evento contou com a presença do prefeito paulistano Fernando Haddad, candidato à reeleição, Gabriel Chalita (PDT) --candidato a vice na chapa do petista--, e o presidente nacional do PT, Rui Falcão.

Mais críticas ao 'golpe'

O ato mesclou falas sobre a campanha municipal em São Paulo e o processo de impeachment, que efetivou Michel Temer (PMDB) na Presidência da República e cassou o mandato de Dilma Rousseff (PT).

Em seu discurso, Lula disse que apenas "Haddad e a Erundina [PSOL] não tem nada a ver com o golpe", lembrando que Marta Suplicy (PMDB), Celso Russomanno (PRB) e João Doria Jr. (PSDB) foram favoráveis ao processo de impeachment de Dilma. "Não pode querer o Temer fora lá em Brasília e colocar alguém dele para ser prefeito aqui em São Paulo", comentou o ex-presidente.

Lula aproveitou para alfinetar um dos principais concorrentes de Haddad na disputa pela Prefeitura de São Paulo, Doria Jr., notório crítico do ex-presidente.

"O Doria representa isso. Imagina o povo que foi induzido pela imprensa a não gostar de mim porque a minha mulher comprou um cisne para o meu neto. [E esse povo] vai votar no Doria, que tem uma casa que vale dez milhões de cisnes que a Marisa comprou", citou o ex-presidente, referindo-se aos pedalinhos do sítio em Atibaia (SP), investigado na Operação Lava Jato, e à mansão do candidato tucano na capital paulista, avaliada em R$ 46 milhões.

Reprodução/YouTube
Lula sugere que Haddad peça licença da prefeitura para fazer campanha

Licença

O evento no sindicato começou cerca de uma hora após a divulgação de pesquisa Datafolha com as intenções de voto para a Prefeitura de São Paulo. Haddad apareceu dividindo a quarta posição com Luiza Erundina, atrás de Doria, Marta e Russomanno.

Com esse cenário, Lula sugeriu que Haddad se licenciasse do cargo de prefeito para se dedicar à campanha. "Estou enchendo o Haddad para que ele peça licença da prefeitura. Ele tem a obrigação política de tentar mostrar para o povo que, se ele não voltar, o povo vai perder tudo que foi feito por ele, pelo Chalita e pelos partidos aliados", afirmou o ex-presidente.

"Só tem uma pessoa capaz de convencer esse povo: é você. Você [Haddad] precisa falar com o coração, falar com a alma. Não precisa falar mal de Marta, Russomanno, Doria. É falar sobre a diferença entre seu governo e eles", disse Lula.

O candidato a vice, Gabriel Chalita, também relativizou o resultado do Datafolha. "Pesquisa é bobagem, mede o momento. O que vale é militância, homens, mulheres acreditando que essa cidade não pode ficar para trás."

Haddad também minimizou os resultados da nova pesquisa. "Queria lembrar a última semana da campanha de 2012. Como professor, eu me deixava abater por pesquisa em 2012. A quatro dias da eleição, eu estava com 19% nas pesquisas. No dia da eleição, eu terminei com 29% na urna, e não na pesquisa", lembrou o atual prefeito. 

Datafolha: vantagem de Russomanno despenca; Marta e Doria sobem

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos