Análise: Denúncia contra Lula é mais uma flechada em um PT machucado

André Carvalho

Do UOL, em São Paulo

  • Xinhua/Rahel Patrasso

Denunciado nesta quarta-feira (14) pelo MPF-PR (Ministério Público Federal do Paraná) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi apontado pelo procurador da República Deltan Dallagnol como o "comandante máximo" do esquema investigado na Operação Lava Jato. De acordo com os procuradores que atuam na Operação Lava Jato, Lula teria atuado, com a empreiteira OAS, no desvio de ao menos R$ 87,6 milhões da estatal.

Dois cientistas políticos ouvidos pelo UOL avaliaram como a denúncia pode impactar no futuro político do ex-presidente, no Partido dos Trabalhadores e nas eleições municipais, cujo primeiro turno irá ocorrer em menos de um mês, no próximo dia 2 de outubro.

Para Cláudio Couto, da Fundação Getúlio Vargas, e Carlos Melo, professor do Insper, as denúncias contra Lula são mais uma "flechada em São Sebastião", ou seja, mais um ferimento em um partido já muito machucado.

No século 3, o cristão Sebastião foi condenado à morte, amarrado a uma árvore e atingido por flechas. Ele foi dado como morto, porém sobreviveu, mas foi açoitado até a morte logo em seguida.

"Se o partido estivesse em um céu de brigadeiro e ocorresse uma denúncia como esta, seria um dano sério. Mas a essa altura, é simplesmente mais do mesmo", avalia Cláudio Couto.

Pergunta: Qual o tamanho do impacto da denúncia do MPF envolvendo o ex-presidente Lula para o Partido dos Trabalhadores?

Carlos MeloNo partido não teria um impacto muito grande. O PT já está bastante ferido. Para o partido é só mais uma "flechada em São Sebastião". Tem um efeito quase redundante. Agora, eu acho que tem um outro efeito que é o da disputa da opinião pública em relação ao Lula. Se o processo evoluir para a aceitação dessa denúncia, depois houver o pedido de prisão e se for aceito esse pedido de prisão, acho que essa coletiva [de imprensa] de hoje [ontem] é um passo adiante numa disputa da opinião pública. Então, retomar a questão da Lava Jato faz parte da construção dessa narrativa em torno da criminalização do Lula.

Cláudio Couto: Acho que seria mais do mesmo. Eu gosto daquele ditado: "o que é mais uma flecha para São Sebastião?" Ou seja, o partido já foi tão flechado, que não vai ser isso que vai piorar sua situação. O dano já foi provocado, é só mais um elemento. Causa um dano muito diretamente ao Lula, mas ele próprio já foi muito flechado em um período recente. Eu não vejo isso algo que piore significativamente a situação do PT. Se o partido estivesse em um céu de brigadeiro e ocorresse uma denúncia como esta, seria um dano sério. Mas a essa altura, é simplesmente mais do mesmo. 

P: Como a denúncia do MPF pode impactar as campanhas municipais?

Carlos Melo: Acho que tem dois efeitos interessantes. Um deles é que coloca as campanhas na defensiva. Porque elas, de algum modo, serão obrigadas a sair do âmbito de onde estavam, que eram a disputa municipal, as questões da cidade, das políticas locais, e coloca no campo nacional da defesa do ex-presidente Lula. Mas, ao mesmo tempo, de certa forma, mobiliza uma parte da militância do PT, também. Então, diria que coloca a campanha na defensiva e torna também para o PT, para as disputas políticas locais, um ambiente um pouco mais tenso porque é claro que esse é um assunto quente, muito sensível, passional, que tende a mobilizar uma parte da militância e tende, também, a despertar opiniões dos contrários.

Cláudio CoutoSinceramente, acho que não altera em nada. Primeiro, pela tradição que a gente tem no Brasil de o eleitor distinguir os níveis de governo quando vota. Então, se você tem uma avaliação positiva de um prefeito do PT, não é isso que vai fazer com que você vote contra. Por outro lado, mesmo que a gente admita alguma interferência da política a nível nacional na política local, eu diria que isso já está precificado. Ou seja, os danos que poderiam ser causados ao PT já foram causados ao longo dos últimos anos todos e sobretudo agora, mais recentemente, com tudo aquilo que envolveu a Lava Jato e o próprio impeachment da Dilma. 


P: Quão impactada pode ser a imagem política do ex-presidente Lula com esta denúncia? Quanto isto pode atrapalhar seus planos de voltar ao Palácio do Planalto em 2018?

Carlos MeloTem um entendimento que é o seguinte: "o que não me mata, me fortalece". Acho que nesse momento, tem um grande desgaste. Mas algumas questões devem ser levantadas. A denúncia não significou em prisão? Não significou em prisão por quê? Se a interpretação foi de que um ex-presidente inocente foi injustiçado é claro que ele se fortalece. Mas se a interpretação foi de que a Justiça brasileira vai até determinado nível, mas não vai além dele, é claro que isso tem outras implicações. Temos ver o que vai acontecer e como vai acontecer.

Cláudio Couto: Acho que atinge sua imagem sim, porque é um desdobramento grave do processo de investigação que vinha ocorrendo contra ele. Mas é um dano para alguém que já vinha tendo danos seguidos nos últimos anos. Se ele não vir a ser preso, melhora um pouco a situação dele, mas não resolve. Quem passa por um processo como esse, de muitas denúncias, muitas acusações, muitas investigações, sempre fica com um prejuízo, isso não é resolvido no caso de absolvição. Não sai disso incólume. Depois que você é, por muito tempo, repetidamente, apontado como alguém envolvido em atos ilícitos, mesmo que haja depois uma prova que você não os cometeu, o estrago já foi feito.

Lula denunciado. E agora? Blogueiros do UOL analisam

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos