Lula brinca e diz que vai fazer delação ao 'amigo Moro': 'aí vou para o tríplex'

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) brincou ao dizer, em evento do diretório paulista do PT, que estaria disposto a fazer uma delação premiada. Réu em cinco processos, sendo dois deles sob responsabilidade do juiz Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato na primeira instância, Lula disse que delatores ficam com metade do que roubaram.

"Sinceramente, eu estou quase fazendo uma delação para pegar meus US$ 82 milhões", em referência à fala do empresário Joesley Batista, um dos donos do frigorífico JBS, da holding J&F, que informou ter pago propina ao petista e à ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Eles negam a acusação.

"Eu estou quase falando: 'Moro, meu amigo Moro, o Joesley disse que eu tenho US$ 82 milhões. Se você quiser que eu faça uma delaçãozinha e você me der US$ 41 milhões, eu faço. O primeiro que eu entrego é ele", falou. "E aí vou lá para o tríplex", fazendo em referência ao apartamento do Guarujá que está sob investigação.

Os acordos de delação premiada, no entanto, são conduzidos pelo MPF (Ministério Público Federal), e não por Moro.

A respeito de contribuições para campanhas políticas, Lula disse que "todo mundo vai pedir dinheiro para quem tem dinheiro". "As pessoas mais pobres não têm como contribuir. Quem tem são os empresários."

E afirmou que os deputados federais "não devem aceitar a ideia de que tudo [o que se refere a doações eleitorais] é propina". "Se o deputado for honesto, vai dizer que só quer [doação] pro dentro. 'Por dentro' ganhou importância. Aí depois, alguns empresários que fizeram a sonegação fiscal aprenderam a palavra mágica 'propina'. Se o cara for um delator e falar 'propina' [nas delações], ele vai ficar com metade do que ele roubou".

O petista também declarou que Moro "subordinou sua decisão à imprensa". "É a primeira vez que os julgadores estão preocupados com a opinião pública", comentou. "Uma coisa séria virou isso."

Processo

Lula não acredita que será condenado no processo em que é acusado de ter recebido R$ 3,7 milhões em propina por conta de três contratos entre a OAS e a Petrobras.

O MPF alega que os valores foram repassados a Lula por meio da reforma de um apartamento tríplex no Guarujá (SP) e do pagamento do armazenamento de bens do ex-presidente, como presentes recebidos no período em que era presidente. O petista é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Lula nega as acusações.

"Tenho tanta certeza da minha inocência que fico torcendo para eles apresentarem alguma coisa contra mim porque senão vai ser ruim para eles", disse, voltando a criticar a denúncia do MPF, que ele alega ser baseada em um power-point e que não apresenta provas.

"O que está em julgamento é uma coisa que o povo julgou e aprovou: o meu governo, com 87% de bom e ótimo quando eu deixei a Presidência da República", acredita Lula, que acredita não ser ele o alvo do julgamento.

O processo de Lula ligado ao tríplex do Guarujá já está em sua fase final. O MPF, em alegações finais, pediu a prisão do ex-presidente e pagamento de multa de R$ 87 milhões, posição que foi endossada pela Petrobras.

Os defensores de Lula têm até o dia 20 de junho para apresentar seus últimos argumentos a Moro. Apenas após essa etapa, ele poderá apresentar sua sentença. Não há uma data específica para que isso aconteça.

Lava Jato pede condenação de Lula no processo do tríplex

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos