"Tem que fechar o Supremo Tribunal Federal", diz deputado do PT

Gustavo Maia

Do UOL, em Brasília

O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) disse em vídeo publicado nesta sexta-feira (13) que "tem que fechar o Supremo Tribunal Federal". Em quase dois minutos, ele afirmou que é preciso "redesenhar" o Poder Judiciário e fez diversas críticas ao ministro Luís Roberto Barroso, que segundo ele "ajudou a colocar o presidente Lula atrás das grades".

Barroso foi um dos seis ministros que votaram para negar o pedido de liberdade (habeas corpus) preventivo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no plenário do STF, na semana passada. O petista foi preso no último sábado (7).

"Nós temos que redesenhar o Poder Judiciário e o papel do Supremo Tribunal Federal. Tem que fechar o Supremo Tribunal Federal. Nós temos que criar uma Corte constitucional, de guarda exclusiva da Constituição, com seus membros detentores de mandato", declarou. O vídeo foi publicado na página de Facebook do parlamentar.

"[Barroso] é, seguramente, o pior ministro do Supremo Tribunal Federal dos últimos tempos. É um mal para a democracia, é um mal para o direito, é um mal para o Supremo, é um mal para o povo brasileiro", disse Damous, que foi presidente da presidente da OAB-RJ (Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro) e da Comissão da Verdade do Rio.

"A última do Luís Roberto Barroso, entre tantas idiotices que ele é capaz de produzir, é de que é papel do Supremo corrigir as escolhas do povo. O que ele disse literalmente? 'Bom, o Supremo já está separando o trigo, mas tem gente que insiste no joio'. Então que é papel do Supremo separar o joio do trigo e escolher pelo povo brasileiro. É com base nesse tipo de sentimento e de entendimento que ele ajudou a colocar o presidente Lula atrás das grades", criticou.

O parlamentar encerrou o vídeo dizendo que é preciso "evitar que gente como Roberto Barroso tenha o poder de ditar os rumos do processo eleitoral, da escolha popular e da democracia brasileira". "Não foi para isso que essa turma foi colocada lá. Eu tenho alertado lá na Câmara dos Deputados: ou nós enquadramos essa turma ou essa turma vai enterrar de vez a democracia brasileira", concluiu.

Durante discurso de Lula horas antes de se entregar à Polícia Federal, em São Bernardo do Campo (SP), no sábado, Damous foi saudado pelo ex-presidente como "o companheiro que mais briga e mais denuncia a [Operação] Lava Jato".

A reportagem procurou a assessoria de comunicação do STF, mas não obteve resposta até o momento.

Procurado pela reportagem, o gabinete de Barroso informou que o ministro "jamais fez qualquer referência depreciativa ao ex-presidente Lula".

Ele viajou nesta quinta (12) para os Estados Unidos, onde dará uma palestra na universidade de Harvard. O retorno para o Brasil está previsto para a próxima segunda (16).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos