PUBLICIDADE
Topo

Política

Condenado por lavagem, Maluf vai ser julgado pelo STF em maio por crime eleitoral

Márcio Neves/UOL
Imagem: Márcio Neves/UOL

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

26/04/2018 16h26Atualizada em 26/04/2018 16h45

O STF (Supremo Tribunal Federal) vai julgar no dia 22 de maio, uma terça-feira, ação penal contra o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), na qual o parlamentar é acusado de ter cometido crime eleitoral ao omitir informações em sua prestação de contas relativa à campanha eleitoral de 2010.

Segundo a acusação da PGR (Procuradoria-Geral da República), a empresa Eucatex, ligada à família de Maluf, teria pago despesas de campanha do deputado, no valor de R$ 168,5 mil, por meio da aquisição de material de campanha em uma gráfica.

O crime, segundo a Procuradoria, o deputado não ter declarado esse valor como doação de campanha.

Em sua defesa apresentada no processo, Maluf afirmou que não há provas que liguem os supostos pagamentos da Eucatex à sua campanha e que ele não foi responsável por arrecadar doações naquela eleição.

A pena prevista para o crime é de um a cinco anos em regime fechado.

O processo será julgado pela 1ª Turma do STF, composta pelos ministros Luiz Fux, relator da ação, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Alexandre de Moraes e Marco Aurélio Melo.

Em junho do ano passado a 1ª Turma, em outro processo, condenou Maluf por lavagem de dinheiro a sete anos e nove meses de prisão. O deputado foi preso por causa dessa condenação em dezembro, tendo inicialmente ficado detido no presídio da Papuda, em Brasília.

Desde o dia 5 de abril o deputado está em prisão domiciliar por decisão do STF.

Maluf foi internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, no último dia 6, com pneumonia. O deputado também tem problemas na coluna e está em tratamento para um câncer de próstata. Não há previsão de quando ele deve ter alta.

Política