PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro enviará ministro a Israel para negociar técnica de dessalinização

O ex-astronauta Marcos Pontes, futuro ministro da Ciência e Tecnologia, e o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) - Reprodução
O ex-astronauta Marcos Pontes, futuro ministro da Ciência e Tecnologia, e o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) Imagem: Reprodução

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em São Paulo

25/12/2018 09h10

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou que o futuro ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, visitará Israel em janeiro para negociar parcerias - entre elas uma técnica de dessalinização de água para a agricultura. Bolsonaro disse em sua conta pessoal no Twitter, nesta terça-feira (25), acreditar que a técnica pode beneficiar a agricultura no nordeste do Brasil.

Bolsonaro informou que "ainda em janeiro" pretende construir "instalação piloto para retirar água salobra de poço, dessalinizar, armazenar e distribuir para agricultura familiar" na região nordeste.

Em novembro, o presidente eleito disse que mudaria a embaixada brasileira, em Israel, de Tel-Aviv para Jerusalém. O assunto gerou repercussão internacional, uma vez que a mudança implicaria em reconhecer a capital de Israel em Jerusalém, o que pode causar atritos e prejudicar negócios com palestinos e países árabes.

Bolsonaro disse que estuda junto ao embaixador de Israel e uma empresa especializada testar tecnologia que produz água a partir da umidade do ar em escolas e hospitais. Segundo ele, o país poderia negociar a instalação de uma fábrica dessas no Nordeste.

"Livre das amarras ideológicas o Brasil agora pode dar os primeiros passos para fora do buraco em que foi colocado pelos últimos governos", escreveu.

Bolsonaro está passando o feriado de Natal na base naval da Restinga da Marambaia, uma instalação da Marinha no litoral do Rio de Janeiro habitualmente usada por presidentes para períodos de descanso - pois trata-se de uma praia onde o acesso é restrito e a segurança é realizada pelas Forças Armadas.

Na noite de segunda-feira (24), Bolsonaro participou de uma missa e de uma ceia realizadas dentro da base. Sua assessoria também divulgou imagens onde ele aparece participando de um churrasco e fazendo uma brincadeira com um militar ironizando a facada que recebeu em setembro.

Israel

Após Bolsonaro dizer que trabalha para fazer uma parceria com Israel, o governador eleito do Rio, Wilson Witzel também publicou uma mensagem de Natal remetendo a Israel. Ele aparece em frente a uma imagem do Muro das Lamentações, em Jerusalém, e diz que foi a Israel agradecer a Deus por sua eleição.

Witzel disparou na reta final das eleições no Rio após vincular sua imagem à de Jair Bolsonaro. Ele esteve em Israel em dezembro onde disse ter coletado informações sobre drones aéreos que poderiam ser usados na segurança pública.

Eduardo Bolsonaro: não a 'narcoditadores'

O filho do presidente eleito, Eduardo Bolsonaro (PSL), eleito deputado federal por São Paulo, também repercutiu assuntos internacionais no Twitter.

Ele compartilhou uma mensagem natalina do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. Em outra postagem disse que "convidar 'narcoditadores' para a posse do novo presidente eleito não faz parte de uma política saudável". Mas, não deixou claro exatamente quem seriam essas pessoas.

Disse ainda que seu pai e o futuro chanceler Ernesto Araújo preferem estar "atentos ao sofrimento das pessoas do que posando para fotos ao lado de presidentes de outros países".

O governo eleito anunciou que não convidará representantes da Nicarágua para posse de Bolsonaro. As comitivas de Cuba e Venezuela foram desconvidadas e não devem estar presentes no país, no dia 1º de janeiro.

Política