PUBLICIDADE
Topo

Política

Joice, Frota, Olimpio: como a base do governo recebeu a crise Bebianno

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

14/02/2019 14h14Atualizada em 14/02/2019 16h55

Após as suspeitas sobre um esquema de candidaturas laranjas do PSL, o ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, parlamentares do partido têm sustentado que é preciso investigar as denúncias.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Bebianno liberou R$ 250 mil de verba pública para a campanha de uma ex-assessora, que repassou parte do dinheiro para uma gráfica registrada em endereço de fachada. 

Érika Santos foi candidata a deputada estadual pelo PSL em Pernambuco na última eleição. Ela não foi eleita.

Na época dos fatos, Bebianno respondia pela presidência do partido.

Confira o que parlamentares do PSL disseram sobre o caso:

  • Delegado Waldir (PSL-GO), líder do partido na Câmara: 

"Zero de risco [de Bebianno sair do governo]. Nós somos um governo correto."

  • Joice Hasselmann, deputada federal (PSL-SP)

"Não precisa ser muito inteligente para ver que está tendo um desgaste, mas que não é essa sangria desatada aí"

Fale sempre a verdade, a verdade tem um som diferente! O som da verdade é bonito, agrada os ouvidos de quem tem bom coração. Que as verdades apareçam

  • Major Olímpio, senador (PSL-SP)

Se procederem as acusações, não dá para continuar no time de confiança dele. Não posso fazer uma ilação. É uma pessoa da extrema confiança do presidente. Eu, como presidente do PSL em São Paulo, não tenho nenhum senão a fazer, pelo contrário

Major Olimpio, senador pelo PSL  - 18.jan.2019 - Simon Plestenjak/UOL - 18.jan.2019 - Simon Plestenjak/UOL
Major Olimpio, senador pelo PSL
Imagem: 18.jan.2019 - Simon Plestenjak/UOL

  • Carlos Bolsonaro, vereador carioca (PSC)

Não há roupa suja a ser lavada! Apenas a verdade: Bolsonaro não tratou com Bebiano o assunto exposto pelo O Globo como disse que tratou

  • Janaina Paschoal, deputada estadual (PSL-SP)

O fato de Bebbiano ter assinado a liberação do dinheiro, na condição de presidente do Partido, não o torna automaticamente culpado, pois ele era a pessoa competente para assinar a documentação. Temos que saber quem, eventualmente, ficou o dinheiro. Entendem?

  • Alexandre Frota, deputado federal (PSL-SP)

Quem erra paga. Eu não vou me meter. Cada um segure seu BO

Política