Topo

Prisão de Temer: A depuração do país continua, diz Janaina Paschoal

Carine Wallauer/UOL
A deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) Imagem: Carine Wallauer/UOL

Aiuri Rebello

Do UOL, em São Paulo

2019-03-21T19:19:35

21/03/2019 19h19

Resumo da notícia

  • Deputada estadual mais votada do Brasil foi coautora do processo de impeachment de Dilma que, ironicamente, alçou Temer ao cargo máximo da República
  • Crítica do ex-presidente desde quando ele estava no poder, ela acredita que a limpeza ética do país continua

A deputada estadual mais votada da história de SP e coautora do pedido de impeachment que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e alçou Michel Temer (MDB) à Presidência da República, Janaina Paschoal (PSL) afirma que "segue a depuração do país" com a prisão do ex-presidente na manhã de hoje.

"Entendo que é a continuidade de depuração [limpeza, purificação] do pais", disse a deputada em resposta ao UOL. "A depuração está em curso." A deputada diz ver, a princípio, como positiva a prisão do ex-presidente e de outros membros do MDB.

Para Janaina, as outras denúncias apresentadas contra o ex-presidente pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, são ainda mais fortes que a aceita pelo juiz Marcelo Bretas, responsável pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, que decretou a prisão do ex-presidente por desvios na construção da usina nuclear de Angra 3 e em outros casos de corrupção.

Além de Temer, foram presas hoje outras nove pessoas pela Lava Jato.

Em conjunto com o ex-petista Hélio Bicudo (hoje morto) e o jurista Miguel Reale Júnior, Janaina foi coautora do pedido de impeachment que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff do cargo em 2016, abrindo caminho para a posse do então vice, Temer.

No começo de seu governo, Temer contou com um voto de confiança de Janaina. Porém, após as denúncias de corrupção feitas pela PGR (Procuradoria-Geral da República) contra o então presidente, Janaína mudou o discurso e passou a cobrar a queda do emedebista.

Da Presidência à prisão: veja trajetória de Michel Temer

UOL Notícias