Topo

PGR: Bolsonaro encontrou Lauro Cardoso 'dentro de contexto', diz porta-voz

Encontro com procurador (foto) foi para ajudar presidente a formular indicação, afirmou porta-voz do Planalto - Divulgação/ANPR
Encontro com procurador (foto) foi para ajudar presidente a formular indicação, afirmou porta-voz do Planalto Imagem: Divulgação/ANPR

Do UOL, em São Paulo

19/08/2019 19h34

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, confirmou hoje o encontro do presidente Jair Bolsonaro com o procurador regional da República da 1ª Região Lauro Cardoso, um dos cotados para a Procuradoria-Geral da República, ocorrido no fim da manhã.

O nome de Cardoso não consta na lista tríplice apresentada a Bolsonaro pelo Ministério Público. Segundo Rego Barros, porém, o encontro faz parte do ritual para a definição do próximo ocupante da PGR.

"(O encontro aconteceu) dentro do contexto de todos os outros procuradores, para que, conversando com esses excepcionais membros do MP, (o presidente) possa ter uma melhor visão e possa, ao final, formular sua indicação a esse cargo que é tão importante para a República", afirmou hoje o porta-voz.

Questionado ainda sobre o subprocurador Antonio Carlos Simões Martins Soares, mais novo cogitado pelo presidente ao cargo de procurador-geral da República, Rêgo Barros não deu detalhes a respeito da apresentação entre os dois. O subprocurador se encontrou na última semana com Bolsonaro.

"Todos aqueles que estão a apresentar-se como candidatos a procurador-geral ou procuradora-geral da República passam por um processo de audiência com o senhor presidente, que inicia-se a partir de uma solicitação desta audiência, e a partir desta solicitação, uma análise da assessoria direta do presidente por meio da sua chefia de gabinete. A partir daí, o presidente delibera receber ou não. Como ele vem se mostrando extremamente aberto a fim de captar as maiores informações, ele tem recebido todos aqueles que solicitam esse encontro para apresentar-se a ele e colocar seus posicionamentos pessoais e institucionais", informou o porta-voz, segundo o qual "foi o próprio procurador" quem solicitou a audiência, "como tantos outros procuradores e procuradoras o fizeram".

Rêgo Barros não informou se a audiência com Antonio Carlos Simões Martins Soares foi uma recomendação do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) ao presidente. Porém, segundo o porta-voz, os encontros só ocorrem após aprovação da chefia de gabinete da Presidência da República.

"O senador Flávio, como tantos outros parlamentares, recebem em audiência inúmeras autoridades. Mas no que toca ao nosso presidente, esse processo é filtrado pela chefia de gabinete da presidente da República", afirmou.

"Como eu disse, a análise para receber uma audiência com o presidente da República é feita pela chefia de gabinete da presidência da República. Eventualmente, pessoas podem indicar à chefia de gabinete alguém que deseje conversar com o presidente. Não especial o senador Flávio, mas também o senador Flávio, como quaisquer outros senadores ou quaisquer outros deputados", completou.

Lei de Abuso de Autoridade terá vetos

O presidente Jair Bolsonaro se encontrou hoje com o ministro da Economia, Paulo Guedes, na tarde de hoje. Após o encontro, segundo Otávio Rêgo Barros, informou que irá vetar pontos da Lei de Abuso de Autoridade.

"O presidente vetará alguns pontos, mas não me adiantou quais dos pontos", disse o porta-voz da presidência. "Sim, serão realizados vetos, mas ele não me adiantou especialmente quais serão esses vetos", reforçou.

Deltan fez lobby com STF e governo para tentar emplacar novo PGR

UOL Notícias

Mais Política