PUBLICIDADE
Topo

Política

Presidente Bolsonaro inicia cirurgia para correção de hérnia em São Paulo

Pedro Ladeira/Folhapress
Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

08/09/2019 08h27

A cirurgia do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para a correção de uma hérnia incisional foi iniciada na manhã deste domingo (8), pouco depois das 7 horas, no Hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo. O procedimento deverá durar entre duas e três horas.

O objetivo da operação é corrigir uma hérnia decorrente de sucessivos procedimentos invasivos na região abdominal. Considerada de médio porte, a cirurgia já era esperada pela equipe médica e não deve oferecer riscos ao presidente.

O procedimento é comandado por Antonio Macedo, cirurgião responsável pelas duas operações anteriores do presidente, para instalação e remoção da bolsa de colostomia, que ele usou após a facada, no dia 6 de setembro do ano passado, durante um ato de campanha eleitoral em Juiz de Fora (MG).

Centro cirúrgico do hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo, onde Bolsonaro será operado - Divulgação - Divulgação
Centro cirúrgico do hospital Vila Nova Star, onde Bolsonaro será operado
Imagem: Divulgação

Bolsonaro foi internado por volta das 20h da noite de sábado (7). Ele estava acompanhado do filho Carlos Bolsonaro (PSC), vereador pelo Rio de Janeiro, e da primeira -dama Michelle, que dormiram na unidade.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), um dos filhos do presidente, chegou pouco antes das 7 horas para acompanhar a operação.

O primogênito Flávio Bolsonaro (PSL), senador pelo Rio de Janeiro, está em São Paulo, mas ainda não apareceu no hospital.

De acordo com o Palácio do Planalto, o tempo de internação dependerá da recuperação do presidente. A expectativa é de que ele volte para Brasília ainda nesta semana sob ordem de repouso.

Bolsonaro chega a SP para passar pela 4ª cirurgia após facada no abdome

redetv
Errata: o texto foi atualizado
Eduardo Bolsonaro não é o filho mais novo do presidente Jair Bolsonaro. A informação foi corrigida.

Política