Topo

Ex-primeira-dama de Campinas é condenada a 17 anos de prisão

Sentença diz que Rosely "criou um grande esquema de corrupção e arrecadação clandestina de dinheiro" - Denny Cesare/Futura Press
Sentença diz que Rosely "criou um grande esquema de corrupção e arrecadação clandestina de dinheiro" Imagem: Denny Cesare/Futura Press

do UOL, em São Paulo

11/09/2019 12h31

Rosely Nassim, esposa de Hélio de Oliveira Santos (PDT), ex-prefeito de Campinas (SP), foi condenada a 17 anos de prisão pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

O episódio que fez com que a ex-primeira-dama da cidade fosse punida ficou conhecido como "Caso Sanasa", o maior escândalo de corrupção da prefeitura local que levou a cassação do cargo do político, conhecido como "Dr. Hélio".

De acordo com o blog de Fausto Macedo, do Estadão, o ex-vice-prefeito da cidade, Demétrio Vilagra (PT) foi absolvido na sentença. Outros 15 réus tiveram a condenação mantida.

A ex-primeira-dama foi condenada pelos crimes de corrupção passiva, formação de quadrilha e fraude em licitação. Segundo o jornal, a pena inicial era de 20 anos de detenção.

Na sentença, disponível no TJ-SP, o desembargador Ricardo Sale citou que Rosely criou um esquema de corrupção entre 2005 e 2011 que teria desviado milhões de reais dos cofres da Sanasa:

"Em 01 de janeiro de 2005, a recorrente Rosely Nassim Jorge Santos foi nomeada Secretária Chefe de Gabinete da Prefeitura Municipal de Campinas, cargo público por ela ocupado até o final de maio de 2011, passando a deter enorme influência sobre vários setores da Administração Direta e Indireta do Município.

No entanto, ao invés de cumprir com suas responsabilidades e deveres funcionais, criou um grande esquema de corrupção e arrecadação clandestina de dinheiro envolvendo agentes públicos e empresários".

Mais Política