Topo

Líder do governo Bolsonaro no Senado é alvo de operação da PF no Congresso

Líder do governo no Senado deixa cargo à disposição de Bolsonaro

TV Folha

Do UOL, com informações da Reuters

19/09/2019 07h35

O líder do governo do presidente Jair Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PD), é alvo hoje de uma operação da Polícia Federal que investiga suspeita de desvios de recursos públicos. A ação, batizada de "Desintegração", inclui mandados de busca e apreensão no gabinete do parlamentar no Congresso Nacional, disse uma fonte com conhecimento direto da operação.

A operação foi revelada inicialmente pelo jornal "Folha de S.Paulo". De acordo com a publicação, o filho do senador, o deputado Fernando Correa Filho (DEM-PE), também é alvo dos agentes da PF. No momento, estão sendo realizadas buscas nos gabinetes tanto do senador como do deputado. Ao todo, estão sendo cumpridos 52 mandados de busca e apreensão.

Bezerra foi ministro da Integração do governo Dilma Rousseff, quando ainda estava no PSB, e foi líder de Michel Temer no Senado no ano passado. Em Pernambuco, seu reduto eleitoral, foi secretário no governo de Eduardo Campos, morto em 2014.

A operação foi autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e o inquérito está sob sigilo. Informações da "Folha de S.Paulo" indicam que o inquérito apura irregularidades em obras da transposição do Rio São Francisco e está relacionado ao período em que Bezerra Coelho era ministro do governo Dilma.

Em nota, a Polícia Federal, sem citar os nomes dos envolvidos, disse que a operação tem o "propósito de desarticular um esquema criminoso de pagamentos de vantagens indevidas, por parte das empreiteiras, em favor de autoridades públicas".

Em nota, a defesa do senador relacionou o pedido "à atuação política e combativa" contra "determinados interesses". Houve questionamento ainda ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), por ter autorizado as buscas.

"Causa estranheza à defesa que medidas cautelares sejam decretadas em razão de fatos pretéritos que não guardam qualquer razão com a contemporaneidade com o objeto de investigação A única justificativa do pedido seria em razão da atuação política e combativa do senador contra determinados interesses dos órgãos de persecução penal", diz a nota.

"A defesa do senador Fernando Bezerra Coelho acrescenta que a Procuradoria Geral da República opinou contra a busca em face do senador, afirmando taxativamente "que a medida terá pouca utilidade prática". Ainda assim o ministro Luís Roberto Barroso a deferiu. Se a própria PGR - titular da persecutio criminis - não tinha interesse na medida extrema, causa ainda mais estranheza a decretação da cautelar pelo ministro em discordância com a manifestação do MPF. A defesa seguirá firme no propósito de demonstrar que as cautelares são extemporâneas e desnecessárias", completa.

Veja a nota na íntegra da Polícia Federal sobre a operação:

"A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (19/09), a Operação Desintegração, com o propósito de desarticular um esquema criminoso de pagamentos de vantagens indevidas, por parte das empreiteiras, em favor de autoridades públicas.

A investigação, instaurada no ano de 2017, teve início a partir de colaborações firmadas com investigados presos no âmbito da Operação Turbulência, deflagrada em junho de 2016 e que apurava, por sua vez, o uso de empresas de fachada, controladas pelos aludidos colaboradores, na lavagem de dinheiro de empreiteiras e no pagamento de propinas a políticos.

Os colaboradores confirmaram o pagamento de vantagens indevidas a autoridades públicas, entre os anos de 2012 e 2014, realizados por empreiteiras que estavam executando obras custeadas com recursos públicos.

A investigação também constatou que dívidas pessoais de autoridades, principalmente relativas às campanhas eleitorais, foram pagas pelas empresas ora investigadas.

Por ordem do Supremo Tribunal Federal, foram expedidos 52 mandados de busca e apreensão envolvendo endereços de todos os investigados, dentre eles autoridades públicas, beneficiários dos recursos e das empreiteiras envolvidas.

Aproximadamente 220 policiais federais estão participando das diligências e ações nesta data".

Mais Política