PUBLICIDADE
Topo

Corolla, Hilux e Mercedes: deputados gastam R$ 9 mi alugando carros de luxo

Toyota Corolla GLi, modelo ilustrativo alugado por Alex Santana (PDT-BA) - Murilo Góes/UOL
Toyota Corolla GLi, modelo ilustrativo alugado por Alex Santana (PDT-BA) Imagem: Murilo Góes/UOL

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

29/09/2019 04h00Atualizada em 30/09/2019 10h53

Resumo da notícia

  • Com locação de carros, são gastos R$ 9,3 milhões em 6 meses
  • 313 deputados usam modelos de luxo e mais caros do que média do mercado
  • Dinheiro é público, mas está previsto em cota parlamentar
  • Verba seria suficiente para comprar cem Corollas 0 km

Hilux, Corolla, Mercedes, Jeep Compass. É em carros de luxo alugados a valores acima da média de mercado que alguns parlamentares circulam por Brasília e seus estados de origem. Ao todo, 313 deputados federais gastaram R$ 9,3 milhões com o aluguel de carros nos seis primeiros meses de 2019, o suficiente para comprar cem Corollas zero km ou alugar 4.690 carros a R$ 2.000 cada um.

Os dados, identificados pela ONG Ranking dos Políticos e confirmados pelo UOL, indicam que o aluguel de picapes, SUVs e sedãs de alto padrão segue o mesmo roteiro: parlamentares dispensam as grandes empresas do setor para, com dinheiro público, contratar locadoras desconhecidas. Algumas têm atividades simultâneas bem distintas, como odontologia, geologia e aluguel de veículos. Uma delas funciona no mesmo endereço de um motel.

Em média, os 313 parlamentares que optaram pelo aluguel (200 não alugam) gastaram R$ 30 mil cada um em locações no primeiro semestre. Se cada parlamentar optasse pela diária de um carro popular zero quilômetro com ar-condicionado, seria possível alugar o mesmo veículo por 256 dias a R$ 117 ao dia, incluído seguro e taxa de aluguel de 12%.

A reportagem também cotou os carros alugados por alguns deputados em três grandes empresas e comparou os valores.

O campeão de gastos é Ricardo Teobaldo (Pode-PE), com média de R$ 10.594 reembolsados pela Câmara todo mês com aluguel de carro. Em seis meses, gastou R$ 63,5 mil. Em janeiro, por exemplo, desembolsou R$ 8.000 por um Jeep Compass branco do ano de 2018. Nos meses seguintes, passou a alugar dois carros, uma Hilux vermelha 2018, pela qual paga R$ 7.700 por mês, e um Corolla 2019, por R$ 5.000.

A cotação feita pelo UOL estimou em R$ 6.600 o aluguel de uma Hilux modelo 2019, R$ 1.100 mais barato e um ano mais novo. Outra cotação cravou R$ 5.200 pelo aluguel mensal do veículo, R$ 2.500 mais em conta. O Jeep Compass foi avaliado em R$ 3.600 em uma locadora e em R$ 4.800 em outra. Já o Corolla 2019 ficaria R$ 1.500 mais barato: R$ 3.503.

Na imagem ilustrativa, um Toyota Hilux, um dos carros alugados por Ricardo Teobaldo (Pode-PB) -
Na imagem ilustrativa, um Toyota Hilux, um dos carros alugados por Ricardo Teobaldo (Pode-PB)
Em resposta à reportagem, Teobaldo afirma em nota que o Jeep foi utilizado em "deslocamentos dentro de Pernambuco" e que "atendeu todos os requisitos" da Mesa Diretora da Câmara sobre a utilização da cota parlamentar.

Responsável pelos aluguéis, o gerente comercial da ASP Empreendimentos, Humberto Cordeiro Paiva, diz que o preço "não está acima do valor de mercado". "É um carro de luxo. O seguro é altíssimo e, sobretudo, com quilometragem livre. O deputado pode fazer viagens curtas ou viajar o Brasil todo."

Já o deputado João Campos (PRB-GO) circula todos os dias em uma Chevrolet S10 ano 2019 com cabine para cinco passageiros. A Câmara reembolsa o deputado em R$ 10 mil todo mês pelo aluguel do veículo, embora ele tenha sido avaliado em R$ 6.600 pelas locadoras consultadas pelo UOL.

O deputado contratou a Efraim Locadora de Automóveis, que não funciona no endereço informado à Receita Federal. No local, atua uma empresa de contabilidade, que passou o contato do proprietário da Efraim, mas ele não atendeu o telefone nem respondeu o email encaminhado pela reportagem.

Daniel Coelho (Cidadania-PE) alugou três carros no Recife entre 15 de abril e 15 de maio. Ele foi reembolsado em R$ 12.700 por um Gol (R$ 3.400), um Fox (R$ 4.300) e um Jetta (R$ 5.000). Procurado, o atendimento da Marolinda Locação informou que a empresa "nunca trabalhou" com Fox e Jetta. "Só trabalho com Onyx, Gol e Ka. Custam R$ 1.600 por mês."

Jeep Compass foi alugado por R$ 8.000 (imagem ilustrativa) - Reprodução
Jeep Compass foi alugado por R$ 8.000 (imagem ilustrativa)
Imagem: Reprodução
Ao UOL, o deputado informou por meio de nota que "os carros são usados pelos funcionários de gabinete para as diversas atividades relacionadas ao mandato" e que os modelos foram escolhidos em razão da "constante necessidade de viagens entre os mais de 184 municípios de Pernambuco" para "o exercício das prerrogativas parlamentar".

A Marolinda encaminhou nota afirmando que "possui apenas um veículo de cada [Jetta e Fox] e que se encontram à disposição do gabinete do deputado Daniel Coelho". Os valores para o carro —com seguro total, guincho ilimitado, proteção contra sinistro, furto, roubo, incêndio e fenômenos da natureza, carro reserva e cobertura de terceiros— "estão equivalentes aos usados pelas locadoras do Recife".

Desde fevereiro, o deputado Nereu Crispim (PSL-RS) aluga dois carros por mês, pelos quais é reembolsado entre R$ 12,4 mil e 12,6 mil: sempre um SUV Toyota RAV4 modelo 2013 (R$ 7.163) e um Corola XRS (R$ 5.500) do mesmo ano. Embora as locadoras consultadas não aluguem a SUV da Toyota, um Corolla GLI 2019 (seis anos mais novo) sai por R$ 3.503 e o modelo XEI 2016 é alugado por R$ 1.900 por mês.

Já o deputado João Marcelo Souza (MDB-MA) gastou R$ 62,2 mil em carros nos seis primeiros meses do ano. Seu preferido é uma Ford Ranger prata modelo 2019. Apesar de pagar R$ 7.600 por mês à Duval Distribuidora de Veículos e Peças, os atendentes da empresa afirmaram ao UOL que ela "não faz aluguel de carro". "Desconheço essa informação", afirmou um deles.

O deputado afirmou em nota que "o atendente não transmitiu a informação correta". "O deputado viaja praticamente todo final de semana para diferentes municípios do Maranhão, circulando por rodovias federais, estaduais e estradas vicinais. Por isso, não falamos aqui em luxo, mas sim em segurança, já que uma caminhonete (pick-up) é o veículo mais indicado às suas necessidades."

Mercedes-Benz C180 foi alugado em janeiro (imagem ilustrativa) - Murilo Góes/UOL
Mercedes-Benz C180 foi alugado em janeiro (imagem ilustrativa)
Imagem: Murilo Góes/UOL
André Abdon (PP-AP) contratou a L.C Dunnincham Leitão Junior-ME para contratar por R$ 7.280 uma Amarok 4X4, apesar de a empresa oferecer outros dois modelos mais em conta. O Grand Siena custa R$ 3.600 e o Polo sai por R$ 3.900, segundo o próprio dono da empresa, Luiz Carlos Junior, que confirmou as informações ao UOL. "A sede fica no Motel Scorpion, minha outra empresa."

Em janeiro, o deputado Alex Santana (PDT-BA) alugou uma Mercedes 2016 por R$ 7.000 e um Corolla GLI 2016 por R$ 4.000, mas a partir de fevereiro trocou por um Corolla XEI 2016 a R$ 3.200 e uma Hilux zero km, pela qual é reembolsado mensalmente em R$ 9.500.

As locadoras consultadas não alugam o modelo C180 da Mercedes. A opção é o modelo GLA 200 ano 2018, modelo 2019: sai por R$ 7.852 em uma locadora e R$ 4.600 em outra. Já um Corolla XEI 2017 pode ser alugado por R$ 1.900 e a Hilux foi cotada a R$ 6.600 por uma locadora e a R$ 5.200 por outra.

Em nota, Santana afirma que "a escolha dos carros obedeceu a critérios pessoais de resistência, segurança e melhor custo-benefício". "A locação foi realizada dentro da legalidade e em consonância com todas as regras preconizadas na Câmara Federal."

Procurados, os deputados André Abdon, Nereu Crispim e João Campos não responderam ao UOL até a última atualização desta reportagem.

Gasto não é ilegal

O dinheiro gasto com o aluguel de carros faz parte da cota parlamentar, um valor mensal destinado a custear os gastos exclusivamente vinculados à atividade de mandato.

A verba pode ser gasta com passagens aéreas, telefonia, serviços postais, manutenção de escritório e aluguel de carros e embarcações, por exemplo.

"Este é mais um exemplo daqueles privilégios que não são ilegais, mas são imorais", afirma Renato Dias, diretor-executivo do Ranking dos Políticos. "Como 'está na lei', não poderíamos questionar. O que precisamos é dar visibilidade para este tipo de coisa, para que a população questione e pressione o parlamentar a ser mais responsável no uso do dinheiro público."

Sobre a dificuldade de encontrar algumas empresas responsáveis pelo aluguel dos veículos a parlamentares, Dias afirma que falta à Lei de Acesso à Informação uma "padronização" sobre como os entes do Estado devem prestar contas. "Do contrário, fica muito fácil colocar as informações de forma dissimulada, sem que a devida checagem possa ser feita. É o caso dessas empresas, que mais parecem fachadas para negócios irregulares."

Zeca Dirceu é o deputado que mais gasta em alimentação

Band Notí­cias
Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no quinto parágrafo, o deputado federal Ricardo Teobaldo foi eleito por Pernambuco, não pela Paraíba. A informação foi corrigida.

Política