PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Regina Duarte critica presidente da Fundação Palmares: "é um ativista"

Secretaria especial de Cultura do governo Bolsonaro, Regina Duarte dá entrevista exclusiva ao "Fantástico" - Reprodução/TV Globo
Secretaria especial de Cultura do governo Bolsonaro, Regina Duarte dá entrevista exclusiva ao "Fantástico" Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

08/03/2020 23h18

A secretaria especial da Cultura, Regina Duarte, criticou o atual presidente Fundação Palmares, Sérgio Camargo, em entrevista veiculada na noite de hoje pelo programa Fantástico, da TV Globo. A atriz afirmou que espera o momento certo para exonerá-lo do cargo.

"Voltamos a uma situação de uma pessoa que é um ativista mais do que um gestor público. Estou adiando o problema. Eu quero que baixe um pouco a temperatura [para tomar uma decisão]."

Camargo teve sua nomeação para a presidência da Fundação Palmares suspensa no ano passado pela Justiça. Sua indicação causou rejeição por conta de suas publicações de ataques a personalidades e ao movimento negro. Ele tomou posse do cargo após decisão do STJ (Superior Tribunal da Justiça).

Desvinculada da TV Globo, a atriz tomou posse do cargo na última quarta-feira (4). Ela reclamou, durante a entrevista, da pressão de grupos ligados à extrema-direita que pedem sua saída imediata.

"Eu passei os primeiros dias desfazendo intrigas, respondendo a acusações que não são verdadeiras. A gente começou com enormes dificuldades por causa de uma facção que quer ocupar esse lugar. Já tem hashtag #foraregina".

Regina afirmou que seu antecessor no cargo "mereceu cair". O diretor de teatro Roberto Alvim copiou trechos de um discurso do ministro da Propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels, ao gravar um vídeo sobre um programa nacional de artes da pasta.

"Ele foi tomado por um personagem e caiu."

Minoria não terá dinheiro público

Ao ser questionada sobre representações artísticas e culturais de grupos minoritários, a secretária especial afirmou que "minorias não terão acesso a dinheiro público". Ao responder uma segunda pergunta sobre assunto, ela reiteirou que "as minorias devem procurar patrocínio junto à sociedade civil".

Regina também criticou artistas que fazem oposição ao governo Bolsonaro.

"A polarização que foi estimulada pelo movimento #elenao é um tiro no pé. Esse movimento é pouco inteligente".

Política