PUBLICIDADE
Topo

Após desdenhar de coronavírus, Graziano desiste de protesto e vira piada

26.jul.2010 - Xico Graziano, então do PSDB, durante debate em São Paulo - Moacyr Lopes Junior/Folhapress
26.jul.2010 - Xico Graziano, então do PSDB, durante debate em São Paulo Imagem: Moacyr Lopes Junior/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

12/03/2020 14h09

O engenheiro agrônomo Xico Graziano, apoiador das manifestações pró-governo marcadas para o próximo domingo (15), disse que não vai comparecer ao protesto e que "devemos ser precavidos" diante do aumento do número de casos de coronavírus no país.

A desistência de Graziano, que deixou o PSDB para apoiar a candidatura do agora presidente Jair Bolsonaro (sem partido), virou piada nas redes sociais, uma vez que dias antes ele havia desdenhado do riscos da covid-19.

"Eu não duvido que comecem a divulgar risco de epidemia de Coronavírus no Brasil para murchar a manifestação de 15 de março...", escreveu em sua conta no Twitter no dia 27 de fevereiro.

Hoje, no entanto, ele informou que estava indo viajar e só voltaria no domingo. "Estou indo para Patos de Minas lecionar no MBA/FGV. Volto apenas domingo. Não irei à manifestação de rua. Acho que nem deveria ser realizada. Eu mesmo estava incrédulo, mas sinto que devemos ser precavidos. Não devemos remar contra a maré. A política fica para depois."

"Ué, não foi você que afirmou que a pandemia era manobra da imprensa para atrapalhar a manifestação? Enganou-se?", ironizou um internauta. "Mas não era histeria, Xico?", questionou outra.

Os organizadores da manifestação estão avaliando os riscos de se manter o evento. "Temos de acompanhar a questão da saúde em primeiro lugar. Precisamos ter responsabilidade", afirmou a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), uma das organizadoras do protesto ao jornal O Estado de S. Paulo.

Bia Kicis se aconselhou com o ministro da Saúde na manhã de hoje e disse que vai procurar outras autoridades para avaliar os riscos de manter a manifestação no domingo. "Conversei com o ministro, e a previsão é que, na próxima semana, aumente muito o coronavírus no Brasil. Diante disso temos de tomar muito cuidado", afirmou.

A manifestação chegou a ser convocada por Bolsonaro e também pela Secretaria de Comunicação do governo publicamente. Em vídeo publicado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no Twitter, o presidente afirmou que a manifestação é "espontânea" e "pró-Brasil", e não contra o Congresso ou o Judiciário.

* Com Estadão Conteúdo

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Política