PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Mandetta avisa equipe que pode ser demitido e substituído, diz jornal

Clima de desgaste entre ministro e presidente aumentou com entrevista de Mandetta ao Fantástico - EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Clima de desgaste entre ministro e presidente aumentou com entrevista de Mandetta ao Fantástico Imagem: EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

15/04/2020 12h45

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, teria avisado parte da sua equipe que ele pode ser demitido pelo presidente Jair Bolsonaro e substituído por João Gabbardo, o "número 2" da pasta, mas a possibilidade ainda não é concreta.

A informação é do jornal O Estado de São Paulo. O ministro e o presidente vêm de um histórico de confrontos diretos e indiretos em meio a pandemia de coronavírus. Recentemente, em entrevista ao "Fantástico", da TV Globo, Mandetta cobrou "uma fala unificada do governo" . A fala gerou desconforto em Bolsonaro e na ala de militares que defendia a permanência do ministro.

Segundo o Estadão, a exoneração ainda não é certa, nem a nomeação de Gabbardo. Este seria mais cotado por não ser uma decisão radical - como indicar Osmar Terra, que é contra a atual estratégia de isolamento social.

João Gabbardo foi secretário da Saúde em Santa Rosa, no Rio Grande do Sul, quando Osmar terra era prefeito da cidade, em 1993. Em 2003, quando terra ocupou a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, ele novamente nomeou Gabbardo para um cargo técnico.

A reportagem do Estadão ainda citou que Antonio Barra Torres, médico, contra-almirante e presidente substituto da Anvisa; Ludhmila Hajjar, diretora de Ciência e Inovação da Sociedade Brasileira de Cardiologia; Claudio Lottemberg, presidente do Conselho do Hospital Israelita Albert Einstein e Nise Yamaguchi, oncologista e imunologista, também são nomes cogitados para substituir Mandetta.

Coronavírus