PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Bolsonaro diz que autoriza que sua mãe receba cloroquina se tiver covid-19

O presidente Jair Bolsonaro nega que teve covid-19, mas disse que se submeteu a 60 dias de tratamento por cloroquina - ADRIANO MACHADO
O presidente Jair Bolsonaro nega que teve covid-19, mas disse que se submeteu a 60 dias de tratamento por cloroquina Imagem: ADRIANO MACHADO

Mariana Gonzalez e Patrick Mesquita

Do UOL, em São Paulo

22/05/2020 19h54

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje, em entrevista à Jovem Pan, que autoriza que sua mãe receba tratamento com cloroquina se for contaminada pelo coronavírus. Dona Olinda tem 93 anos.

"Várias pessoas conhecidas dizem que tomaram a cloroquina. Se foi por causa dela ou não, está vivo. O PT quer tirar [a cloroquina] do SUS, deixa o pobre tomar cloroquina. Se minha mãe, dona Olinda, for acometida, meu irmão já sabe: cloroquina nela".

Bolsonaro admitiu que sabe que a cloroquina não tem comprovação científica, mas que, mesmo assim, defenderá o medicamento.

"Na guerra do pacífico, soldados chegavam feridos e não tinha como fazer transfusão de sangue porque não tinha doador, aí começaram a meter água de coco na veia do cara e deu certo. Se fosse esperar a comprovação científica da água de coco, teriam morrido centenas de milhares de pessoas", disse. "Pode ser que daqui a dois anos digam que a cloroquina salvou muita gente e eu não terei a consciência pesada, como pode chegar à conclusão que é placebo, farinha de trigo".

Ele disse, ainda, que se submeteu à substância durante 60 dias — apesar de negar ter sido contaminado pelo vírus.

"Pior do que a dor da derrota é a dor da vergonha de não ter lutado. Eu me expus a dois meses de cloroquina, era o que tínhamos. Se aparecer em qualquer lugar do mundo um remédio comprovado cientificamente, faremos de tudo para buscar. Enquanto não aparece, cloroquina na turma".

Coronavírus