PUBLICIDADE
Topo

Fazem busca nas Laranjeiras, por que não no Alvorada?, questiona Dirceu

Do UOL, em São Paulo

29/05/2020 14h57

O ex-deputado José Dirceu questionou hoje, em participação no UOL Entrevista, a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) envolvendo as recentes investigações autorizadas pelo Supremo Tribunal Federal.

Dirceu usou como exemplo as investigações feitas contra o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para criticar a postura do presidente.

"Ele [Bolsonaro] não pode ser investigado, mas o palácio das Laranjeiras pode?", indagou Dirceu falando sobre a operação Placebo, que aconteceu esta semana e mirou Witzel e sua esposa.

Dirceu também ironizou a fala do presidente Jair Bolsonaro nesta semana em que ele sugeria a limitação do inquérito das fake news comandado pelo STF.

"Vai fazer o quê? Fechar o Supremo? Mandar prender os ministros?", indagou Dirceu.

O ex-deputado ainda relembrou os mandatos dos colegas de partido, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, para afirmar que Bolsonaro não está acima da lei.

"Quer dizer que o Bolsonaro está acima da lei?", questionou, recordando que Bolsonaro já havia indicado que não entregaria seu celular para ser analisado caso fosse solicitado.

"O Lula não estava [acima da lei] e nunca pretendeu estar, nem a presidente Dilma. O Bolsonaro, no meu entendimento, está fazendo terrorismo para assustar a sociedade e as forças políticas de oposição."

Artigo 142 foi 'erro'

O político afirmou ainda que a interpretação de Bolsonaro do artigo 142 da Constituição, que autoriza a condição das Forças Armadas como poder moderador, é "insustentável". e que a inclusão dele foi "um equívoco".

"Eu já conversei com outros constituintes, [o artigo] foi um erro porque a tutela militar nunca deixou de existir no Brasil", avaliou o petista.

Participaram dessa cobertura Beatriz Sanz, Emanuel Colombari, Felipe Amorim, Gustavo Setti e Talyta Vespa (redação) e Diego Henrique de Carvalho (produção)

Política