PUBLICIDADE
Topo

Aras: 'Procurador-geral da República não pode desejar ser ministro do STF'

Augusto Aras no Conversa com Bial  - Reprodução/vídeo
Augusto Aras no Conversa com Bial Imagem: Reprodução/vídeo

Colaboração para o UOL

02/06/2020 03h39

Durante o "Conversa com Bial" desta madrugada, o procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou que não pleiteia uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). Na semana passada o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cogitou indicar Aras a uma vaga no Supremo.

"Quem quer ser procurador-geral da República não pode desejar ser ministro do Supremo Tribunal Federal. Eu sempre digo isso a todos que me conhecem", afirmou Aras. "Se isso vier a ocorrer com qualquer um, será por circunstâncias desconhecidas, porque o nosso trabalho contraria permanentemente interesses de todas as naturezas".

Na semana passada, Bolsonaro disse que poderia indicar Aras para ocupar a cadeira de ministro do STF se uma terceira vaga aparecesse, já que em seu mandato apenas dois ministros irão se aposentar (Celso de Mello, em novembro, e Marco Aurélio Mello, no ano que vem).

"Cheguei ao ápice da minha carreira de procurador-geral da República e pretendo cumprir os dois anos que me foi concedido. Não faço projetos para além desses dois anos", disse o jurista baiano.

A vinculação do nome de Aras a uma poltrona inexistente de ministro da Suprema Corte acabou deixando o procurador-geral desconfortável. Ao ser questionado como tem lidado com as declarações do presidente, ele respondeu: "Bolsonaro tem o jeito especial dele de ser. Eu o respeito muito, como respeito a sua forma de ser e a forma de ser de todas as pessoas, mas eu continuo fiel à Constituição e às leis do país".

O "Conversa com o Bial" vai ao ar de segunda à sexta-feira após o Jornal da Globo.

Política