PUBLICIDADE
Topo

Aras sobre nota emitida por Bolsonaro: 'Ele esqueceu de combinar comigo'

Augusto Aras no Conversa com Bial  - Reprodução/vídeo
Augusto Aras no Conversa com Bial Imagem: Reprodução/vídeo

Colaboração para o UOL

02/06/2020 02h25

Entrevistado do "Conversa com Bial" desta madrugada, o procurador-geral da República, Augusto Aras, comentou a nota emitida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em que dizia acreditar no arquivamento do inquérito que apura se ele tentou interferir politicamente no comando da Polícia Federal.

A nota foi emitida por Bolsonaro no mesmo dia em que visitou inesperadamente a sede da Procuradoria-Geral da República (PGR), colocando Aras em uma situação desconfortável. "Ocorre que é uma declaração unilateral. O presidente esqueceu de combinar comigo", afirmou o jurista baiano ao ser questionado sobre a declaração do presidente.

"Mas eu posso compreender que o Bolsonaro é muito espontâneo e tem convicções próprias. Ele chegou ao mais alto grau da hierarquia política do Brasil. Imagine se eu ou qualquer outra autoridade pode controlar o que diz o senhor presidente? A liberdade de expressão é o primeiro dos princípios e chega a ser levado ao primeiro dos valores da Constituição", completou.

O procurador-geral da República ainda explicou: "Não sou amigo do presidente e nenhum presidente é meu amigo. Nós não temos relações de amizade. Temos relação de respeito. Eu fui surpreendido pela visita do senhor presidente à PGR. Todas as autoridades que vão lá são recebidas de forma cordial e respeitosamente".

Nesta segunda, Aras pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) mais 30 dias de prazo para concluir as investigações das acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal. Agora, caberá ao relator decidir se aceita a petição encaminhada.

O "Conversa com o Bial" vai ao ar de segunda à sexta-feira após o Jornal da Globo.

Siga o UOL no

Política