PUBLICIDADE
Topo

Encontro entre pastores e Bolsonaro tem oração por Congresso e STF

Silas Malafaia ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) - Reprodução
Silas Malafaia ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) Imagem: Reprodução

Hanrrikson de Andrade e Patrick Mesquita

Do UOL, em Brasília e São Paulo

05/06/2020 17h13

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou hoje de uma roda de oração no Palácio do Planalto após reunião com líderes evangélicos. O encontro foi liderado pelo pastor Silas Malafaia, apoiador ferrenho e conhecido por publicar na internet vídeos e mensagens em defesa do mandatário.

Durante o momento de fé, os evangélicos fizeram orações pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e pelo Congresso Nacional, segundo afirmou Malafaia em transmissão nas redes sociais.

Recentemente, os poderes Legislativo e Judiciário foram alvos de protestos capitaneados por bolsonaristas que defendem uma ruptura institucional. Entre os apoiadores mais radicais, há quem peça, inclusive, o retorno do AI-5 (Ato Institucional nº 5), que marca o período mais repressivo e cruel da ditadura militar.

Bolsonaro chegou a comparecer pessoalmente a atos com esse tipo de pauta. Em um deles, realizado em frente ao quartel-general do Exército em Brasília na data em que é comemorado o Dia do Exército (19 de abril), o presidente discursou para os participantes e gritou palavras de ordem como "não queremos negociar nada" e "chega de velha política".

Bolsonaro nega qualquer postura autoritária e declara que, apesar dos atritos institucionais e mensagens em tom de ameaça, não tem a intenção de remar contra a democracia.

No decorrer da agenda com Malafaia, o mandatário disse que o "Brasil tem tudo para ser uma grande nação", exaltou valores conservadores e afirmou acreditar em um "milagre".

"Eu acredito em milagre. Tive um, primeiro, em setembro de 2018. Depois em outubro. Foi quase um milagre [sua vitória na eleição], uma lição", comentou ele, em referência ao episódio da facada, ocorrido em 6 de setembro de 2018, e à campanha eleitoral que triunfaria um mês depois.

"Mais do que nunca, agora, a fé de todos [para] conseguir conduzir o Brasil. Meu muito obrigado aos 210 milhões de brasileiros que acreditam, que tem fé e que esperam um Brasil melhor para todos nós."

Críticas contra Venezuela

Em determinado momento, Malafaia disse que o povo brasileiro é pacífico e não de quebra-quebra, além de ter como marca o verde e amarelo. O pastor também afirmou que o Brasil não vai virar uma Venezuela.

"O povo brasileiro é pacífico, não é de quebra-quebra e baderna. A marca do brasileiro é o povo pacífico, do verde e amarelo [...] Existem milhões orando por este país. Ele não vai ser Venezuela, não vai ser destruído por ninguém, não vai falir", afirmou.

Política