PUBLICIDADE
Topo

Política

Zambelli rebate Moro, e lamenta que álbuns de casamento não sejam editados

Moro discursa no casamento de Carla Zambelli e coronel Aginaldo - Reprodução/Instagram
Moro discursa no casamento de Carla Zambelli e coronel Aginaldo Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

11/06/2020 15h17

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) rebateu hoje à tarde, no Twitter, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que disse mais cedo que aceitou o convite para ser padrinho de casamento da aliada de Jair Bolsonaro (sem partido) por "constrangimento".

Zambelli disse que há "os mentirosos e os cínicos", e questionou em qual das duas opções se encaixa o ex-ministro. Ela ainda disse, que da parte dela e do marido, o coronel Aginaldo de Oliveira, o convite foi verdadeiro e lamentou que os álbuns de fotos de seu casamento não podem ser editados.

"Te ouvindo e vendo depois este vídeo dá para notar o constrangimento, mesmo! Há os mentirosos e há os cínicos. Em qual das opções se encaixa? Da nossa parte era verdadeiro, Prezado. O duro agora são os álbuns, que não se editam. Mas sempre fica o aprendizado", escreveu.

Moro disse mais cedo que nunca teve um relacionamento próximo com a deputada e não quis negar o convite para ser padrinho.

"Pouco conheço a Zambelli, na verdade a questão é que foi aquele tipo de convite que você fica constrangido, 'ah, vamos lá prestigiar'. Mas eu nunca tive um relacionamento próximo, pessoal com a deputada", disse ele em entrevista hoje ao programa "Timeline", da Rádio Gaúcha.

Na cerimônia realizada em fevereiro, a deputada escolheu Moro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e suas respectivas mulheres, Rosângela e Daniela, como padrinhos e madrinhas de seu casamento com o diretor da Força Nacional de Segurança.

Questionado sobre as declarações da deputada de que ele perseguia o PT e protegia o PSDB no comando da Operação Lava Jato. "É um velho discurso de perseguição política", disse.

Política