PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Bolsonaro: Weintraub não foi 'muito prudente' ao participar de manifestação

Do UOL, em São Paulo

15/06/2020 18h17

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) avalia que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, não foi "muito prudente" ao participar ontem de uma manifestação em apoio ao Executivo na Esplanada dos Ministérios.

"Quanto à participação do ministro a um grupamento de pessoas, que não foi o grupo que disparou fogos contra o Supremo [Tribunal Federal, o STF], ele não foi muito prudente. Não foi um bom recado. Ele não estava representando o governo, estava representando a si próprio. Estamos tentando solucionar [a situação] com o Sr. Weintraub", disse Bolsonaro em entrevista para BandNews.

O vice-presidente, Hamilton Mourão, foi na mesma linha do presidente ao afirmar mais cedo em entrevista para Rádio Bandeirantes que muitas declarações do ministro "apenas dividem".

"Sobre o ministro Weintraub, não tiro o direito, desde que participasse dentro das regras estabelecidas pelo governo federal e de se abster de algumas declarações mais polêmicas, que no final não somam, apenas dividem", afirmou Mourão.

Inquérito das fake news

Weintraub é um dos alvos do inquérito das fake news conduzido no STF (Supremo Tribunal Federal) pelo ministro Alexandre de Moraes. Em reunião interministerial do dia 22 de abril, o ministro da Educação disse que prenderia todos os ministros da corte, chamados por ele de "vagabundos". Ontem, participando da manifestação de bolsonaristas em Brasília, disse novamente: "eu já falei qual é a minha opinião, o que eu faria com os vagabundos".

De acordo com a colunista Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo, os ministros do STF já foram avisados sobre a iminente demissão de Weintraub no ministério, e acreditam inclusive na possibilidade de sua prisão frente aos ataques às instituições. O objetivo de Bolsonaro agora é dar ao ministro uma saída honrosa, segundo o jornal.

Multa de R$ 2.000

O ministro da Educação foi multado em R$ 2.000 pelo governo do Distrito Federal após aparecer, sem máscara, na manifestação em apoio ao Executivo na Esplanada dos Ministérios. O uso da proteção em locais públicos é obrigatório na capital federal durante a pandemia da covid-19, conforme manda decreto local.

Segundo o auto de infração, assinado hoje, o ministro foi visto às 10h30 de ontem sem a máscara, quando participava de ato com apoiadores do presidente Bolsonaro.

Além de Weintraub, a maioria dos manifestantes estava sem o acessório, mostram vídeos publicados nas redes sociais. Contrariando recomendações de autoridades de saúde, o ministro ainda aglomerou-se com os apoiadores de Bolsonaro.

A assessoria do governo do DF confirmou ao UOL o envio da multa. Nas redes sociais, o ministro alegou não ter sido notificado e criticou a divulgação da multa com seus dados pessoais em alguns veículos de comunicação. Ele mesmo, no tuíte, acabou compartilhando o documento

"Recurso-me a acreditar que seja verdade. Não fui notificado. Parece que fui o único a ser multado até hoje! Além disso, vazaram para a imprensa meu CPF e RG. Querem me calar a qualquer custo! LIBERDADE!!!", escreveu Weintraub.

Política