PUBLICIDADE
Topo

Zambelli chora e volta a ameaçar ministros do STF: 'tirar cada um de vocês'

Do UOL, em São Paulo

17/06/2020 10h46Atualizada em 17/06/2020 16h36

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) realizou uma live em suas redes sociais hoje em que fez ameaças contra ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Investigada em dois inquéritos relatados na Corte pelo ministro Alexandre de Moraes, a parlamentar afirmou ser vítima de perseguição e chorou.

Ela ainda disse que gostaria que Moraes, que ontem ordenou a quebra do sigilo bancário dela e de outros deputados, tornasse públicas as informações obtidas, para mostrar que ela não financia publicações e compartilhamentos de notícias falsas.

"Você faz tudo certinho e por causa de um cara que não vai com a tua cara... E por que ele não vai com a tua cara? Por que você está chamando atenção demais, porque você fala demais", afirmou ela, em lágrimas, durante live nas redes sociais.

"Quem deveria ter quebra de sigilo bancário são uns 300 deputados. Pelo menos uns 300. Eu não estou chorando de tristeza, estou chorando de raiva. Porque entrei nessa vida política para desmascarar os corruptos, não ser confundida com eles."

Carla afirma que vem sendo perseguida por se posicionar contra os ministros do STF e defender a Operação Lava Jato.

"Uma das coisas do inquérito é isso, eu pegando o microfone na frente do STF e dizendo: 'Ministros, se vocês acabarem com a Lava Jato, a gente vai entrar com impeachment de cada um de vocês e a gente vai derrubar cada um de vocês'. Esse é o motivo do inquérito das fake news. Sou eu, discursando em frente ao STF, dizendo algo que legitimamente a gente pode fazer, que é o impeachment dos ministros do STF, que querem acabar com a Lava Jato. A Lava Jato. Do [Sergio] Moro. Eles não vão nos calar."

Zambelli promete, no vídeo, manter a pressão sobre a instituição.

"Se foi isso que 'startou' o processo, vocês podem se preparar. Enquanto você estiverem cometendo esses tipos de abuso, continuarão sofrendo processos de impeachment", disse ela. "Tem um detalhe, Alexandre de Moraes. Quanto mais você achar que batendo você vai nos calar, mais eu vou ver motivos para contar quem são vocês. E não é na base da ameaça", disse ela, que afirmou que sua família vem sofrendo ameaças de morte, inclusive o filho.

Sigilo bancário e fiscal

Zambelli está entre os dez deputados e um senador bolsonaristas que tiveram o sigilo bancário e fiscal quebrado. O pedido foi feito pela Procuradoria-Geral da República, no inquérito que investiga a convocação e financiamento de atos antidemocráticos - medida autorizada por Alexandre de Moraes.

A deputada afirma que chegou a ter uma dívida de R$ 78 mil por gastos frutos de sua atividade como deputada, por mudanças de passagens aéreas e despesas não reembolsadas, e que sequer tem dinheiro para financiar ações.

"O que eu queria é que o Alexandre de Moraes pegasse essa quebra de sigilo bancário e colocasse público. Primeiro, porque ia ver que não financio movimento nenhum. E um dos motivos é porque não tenho dinheiro", prosseguiu ela, no vídeo, em que mostra seus extratos bancários. "Eu vou disponibilizar toda minha conta, pra todo mundo ver. Não tenho medo nenhum."

Política