PUBLICIDADE
Topo

Associação de Procuradores da República rebate críticas de Aras à Lava Jato

O procurador-geral da República Augusto Aras afirmou que a Lava Jato é uma "caixa de segredos" com "50 mil documentos sob opacidade" - TSE
O procurador-geral da República Augusto Aras afirmou que a Lava Jato é uma "caixa de segredos" com "50 mil documentos sob opacidade" Imagem: TSE

Do UOL, em São Paulo

29/07/2020 16h02

A ANPR (Associação Nacional de Procuradores da República) rebateu hoje as críticas do procurador-geral da República à Operação Lava Jato.

Para a Associação, o discurso do PGR feito em live para o Grupo Prerrogativas, composto por advogados criminalistas, é "destrutivo e não construtivo".

"No que concerne especificamente à Operação Lava-Jato, umas das maiores operações anticorrupção desenvolvidas no país, não custa enfatizar que, apesar dos trabalhos correicionais efetivados, nenhuma irregularidade restou identificada", diz nota divulgada pela organização.

Para a ANPR, a alegação de Aras é "genérica": "Além de desprestigiar os órgãos correicionais que acompanham, rotineiramente, os referidos trabalhos, coloca em indevida suspeição os esforços desenvolvidos por todos os membros que compõem as forças-tarefas, não contribuindo em nada para o aperfeiçoamento do debate travado sobre a evolução do modelo instituído".

Durante a live realizada na noite de ontem, Aras afirmou que a Lava Jato é uma "caixa de segredos" com "50 mil documentos sob opacidade".

"Estamos falando da transparência que estamos a promover. Todo o Ministério Público Federal, no seu sistema único, tem 40 terabytes. Curitiba tem 350 terabytes e 38 mil pessoas lá com seus dados depositados. Ninguém sabe como foram escolhidos, quais os critérios", acusou o procurador-geral da República.

Política