PUBLICIDADE
Topo

Política

PGR analisa suspeita de 'rachadinhas' no gabinete de Flordelis

MP-RJ vê indícios de que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) comandava um esquema de "rachadinha" em seu gabinete - Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
MP-RJ vê indícios de que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) comandava um esquema de 'rachadinha' em seu gabinete Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Pedro Henrique Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

17/09/2020 11h10Atualizada em 17/09/2020 14h02

A PGR (Procuradoria-Geral da República) analisa um possível esquema de 'rachadinhas' no gabinete da deputada federal Flordelis (PSD-RJ). Os indícios constam em um material enviado pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) à Brasília, ontem à noite.

Os documentos enviados pelo MP-RJ a Brasília indicam que a deputada se apropriava de parte dos salários de seus assessores, de acordo com informações enviadas ao UOL.

O material será analisado pela PGR que poderá, se for o caso, pedir abertura de inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal). O órgão não informou valores nem datas dos possíveis desvios.

Assassinato do marido

Flordelis foi denunciada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro sob a acusação de ser mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo. Cinco de seus filhos, além de sua neta, foram presos em 24 de agosto, em operação coordenada pelo Ministério Público do Rio e pela Polícia Civil.

Por ter imunidade parlamentar, a deputada não pode ser presa - a não ser em flagrante de crime inafiançável. Ao todo, 11 pessoas foram denunciadas pelo crime.

Ontem, a deputada apresentou sua defesa à Corregedoria da Câmara sobre o processo disciplinar contra ela que pode levar à cassação do mandato.

Flordelis só pode ser cassada por quebra de decoro após decisão favorável do colegiado com posterior confirmação dos demais deputados federais no plenário da Câmara.

O UOL entrou em contato com a defesa de Flordelis, mas ainda não obteve resposta.

Política