PUBLICIDADE
Topo

Política

Pedido de abertura de impeachment contra governador do SC avança

O coronel dos bombeiros, Carlos Moisés da Silva (PSL), venceu eleições de 2018 em SC apresentado como "governador de Bolsonaro" - Estelita Hass Carazzai/Folhapress
O coronel dos bombeiros, Carlos Moisés da Silva (PSL), venceu eleições de 2018 em SC apresentado como "governador de Bolsonaro" Imagem: Estelita Hass Carazzai/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

13/10/2020 19h09

A comissão especial encarregada de analisar o segundo pedido de impeachment do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL), aprovou hoje o seguimento da ação na Assembleia Legislativa do estado. O pedido agora será avaliado pelo plenário da Casa.

Silva é alvo do pedido pela compra antecipada de 200 respiradores, no valor de R$ 33 milhões, e acusado de supostas irregularidades na contratação de um hospital de campanha no interior do estado, no qual teria pagado cerca de R$ 100 milhões.

O pedido também o acusa de prestar falsas informações para a CPI dos Respiradores sobre a compra antecipada dos equipamentos, além de omissão em apurar suspeitas envolvendo ex-secretários.

Acusações contra a vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido), no entanto, foram retiradas. Ela era apontada como negligente diante das supostas ações de Silva.

O relator do pedido na comissão especial, o deputado Valdir Cobalchini (MDB), afirmou que não há indícios de crimes de responsabilidade cometidos pela vice. Ele escreveu, no relatório, que Reinehr notificou o Ministério Público, a Procuradoria-Geral estadual e a Assembleia Legislativa sobre supostas irregularidades na compra dos respiradores e na instalação do hospital de campanha.

* Com informações da Agência AL

Política