PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Maia diz que seu candidato Baleia Rossi é favorito e tem mais de 230 votos

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao lado do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) - Cleia Viana/Câmara dos Deputados
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao lado do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Kelli Kadanus

Colaboração para o UOL, em Brasília

25/01/2021 16h55

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje que o seu candidato ao cargo, o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), é o favorito na disputa. Segundo Maia, o emedebista terá cerca de 230 votos no primeiro turno e deve conseguir se eleger no segundo turno da disputa.

A eleição para a presidência da Câmara está marcada para a próxima segunda-feira (1) e será feita de forma presencial, apesar da insistência de Maia para que houvesse um sistema remoto, para que os parlamentares do grupo de risco pudessem votar sem ter que estar em Brasília. Maia prevê que a eleição vai começar por volta das 21 horas.

"Nossas projeções caminham para um segundo turno, onde Baleia termina o primeiro turno em primeiro lugar", disse Maia, em entrevista coletiva. "Acho que hoje, pelas nossas projeções, Baleia já passou a ser favorito", completou.

O principal adversário de Baleia é o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), candidato do Palácio do Planalto na disputa. De acordo com Maia, Lira estaria caindo para menos de 200 votos por causa da candidatura de Fábio Ramalho (MDB-MG), que na projeção de Maia deve ter cerca de 50 votos.

O bloco de Baleia Rossi reúne 11 partidos, com 238 deputados. Já o bloco de Lira reúne dez partidos, com 230 votos. Como a votação é secreta, pode haver 'traições" dentro das legendas.

'Senha ao gabinete do ódio'

Maia também comentou hoje as críticas feitas a ele por Lira. Em um vídeo de campanha divulgado hoje, o candidato do Planalto criticou o protagonismo do atual presidente. "Eu conto com seu voto, daqueles que querem que a Câmara em que o 'nós' substitua o 'eu'. Uma Câmara de todos e não de um", afirmou.

Segundo Maia, Lira "deve ter transferido a senha das redes sociais dele para Carlos Bolsonaro e o gabinete do ódio", disse, citando o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e vereador no Rio de Janeiro. "Só por isso que imagino que ele tenha ficado tão agressivo nas redes sociais", completou Maia.

"Temos uma pandemia de coronavírus e temos outro vírus que circula pelo Brasil, e pelo mundo, que é o vírus que cega muito as pessoas em relação a esse nacional populismo que teve a primeira derrota com a derrota do Trump", disse Maia em referência ao ex-presidente americano, Donald Trump, derrotado nas urnas pelo democrata Joe Biden.

Segundo Maia, no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é o representante do nacional populismo.

Política