PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
8 meses

Lula tem visão de país, e Bolsonaro só enxerga o próprio umbigo, diz Maia

Fala de Maia veio enquanto Lula realizava um discurso em São Bernardo do Campo (SP), onde o petista criticou Bolsonaro - Adriano Machado
Fala de Maia veio enquanto Lula realizava um discurso em São Bernardo do Campo (SP), onde o petista criticou Bolsonaro Imagem: Adriano Machado

Do UOL, em São Paulo

10/03/2021 13h47Atualizada em 10/03/2021 16h25

O deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) fez ponderações acerca do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP) e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmando que não é preciso gostar do petista "para entender a diferença dele" para o atual ocupante do Planalto.

"Um tem visão de país; o outro só enxerga o próprio umbigo. Um defende a vacina, a ciência e o SUS; o outro defende a cloroquina e um tal de spray israelense", disse Maia em uma publicação em seu perfil no Twitter.

Ainda para Maia, Lula "defende uma política externa independente", enquanto Bolsonaro, chamado pelo ex-presidente da Câmara de "acidente da história" que "não sabe" o que a democracia significa, "defende a subserviência".

Tenho grandes diferenças com o Lula, principalmente na economia, mas não precisa ser petista fanático para reconhecer a diferença entre o ex-presidente e o atual" Rodrigo Maia (DEM-RJ), deputado e ex-presidente da Câmara

A fala de Maia veio enquanto Lula realizava um discurso na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), dois dias após ter suas condenações no âmbito da Lava Jato anuladas pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin.

Em seu discurso, Lula pregou a união entre os brasileiros, mirou ataques ao ex-juiz Sergio Moro, elogiou a Globo, fez paralelos com Bolsonaro e disse que o "povo não está precisando de armas, está precisando de emprego".

Após a anulação das condenações de Lula, Maia, além de políticos como Ciro Gomes (PDT-CE) e Guilherme Boulos (PSOL-SP) e artistas como Chico Buarque e Zeca Pagodinho, assinaram um manifesto pedindo que a ação de suspeição contra Moro seja julgada no STF.

O julgamento da ação, que analisa se Moro pode ter sido parcial ao condenar Lula no caso do tríplex em Guarujá (SP), foi adiada ontem após o ministro Kassio Nunes Marques pedir vista — ou seja, mais tempo para analisar a questão antes de tomar uma posição.

Política