PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Espero não estar diante da opção, diz Marco Aurélio entre Lula e Bolsonaro

Allan Britto, Gabriel Toueg e Rayanne Albuquerque

Do UOL, em São Paulo, e colaboração para o UOL, em São Paulo

12/04/2021 12h26Atualizada em 12/04/2021 15h59

Ao ser questionado se votaria no ex-presidente Lula (PT) ou no presidente Jair Bolsonaro (sem partido) num eventual segundo turno nas eleições de 2022, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello disse que espera ter mais alternativas e que prefere aguardar o julgamento sobre as condenações do petista, que acontece nesta semana.

Espero não estar diante dessa opção. Aguardemos até o julgamento da próxima quarta-feira da questão alusiva à nulidade por incompetência territorial da 13ª Vara Federal de Curitiba, dando o dito pelo não dito.
Marco Aurélio Mello, ministro do STF

A declaração foi dada durante o UOL Entrevista conduzido pelo colunista Kennedy Alencar na manhã de hoje.

O decano do STF, que tem 74 anos e irá se aposentar no dia 5 de julho, revelou que já havia votado no ex-presidente Lula e que, nas eleições de 2018, preferiu o ex-prefeito e ex-ministro Fernando Haddad (PT) a Bolsonaro.

A justificativa dada pelo ministro foi a boa gestão de Haddad em São Paulo. "Votei no Haddad e, revelando meu voto, sou um homem transparente. Votei no Haddad porque foi bom prefeito em São Paulo, porque ele, sendo eleito pelo PT, faria tudo ao alcance para recuperar a imagem do partido, que nós acreditamos no início que fosse um partido diferente dos demais", disse o ministro.

Para o decano, Lula "potencializou a tentativa de corrigir desigualdades", o que o ministro chamou de "aspecto muito positivo". "Eu votei no ex-presidente Lula conscientemente", disse.

Marco Aurélio será o segundo ministro do STF a se aposentar durante o mandato do presidente Jair Bolsonaro. Em 2020, quando também completaria a idade máxima, Celso de Mello deixou a Corte e foi substituído por Kassio Nunes Marques.

Política