PUBLICIDADE
Topo

Política

Trevisan: Voto impresso custa muito e abre porta para fragilizar democracia

Colaboração para o UOL

16/05/2021 04h00

A colunista do UOL Maria Carolina Trevisan disse que a discussão na Câmara dos Deputados em torno de um projeto de lei que quer tornar obrigatória a impressão de cédulas de papel após a votação na urna eletrônica no Brasil é algo que traz desconfiança e pode fragilizar a democracia.

"É um projeto que vai ser votado na Câmara e que, claro, não é uma prioridade. É algo que promove desconfiança, pode fragilizar a democracia, pode abrir portas para fraudes", disse Trevisan (veja a partir de 42:28) no episódio desta semana do Baixo Clero, o podcast de política do UOL.

Na quinta (13), o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), defendeu a aprovação do projeto e recebeu elogios do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por suas declarações. "Nós queremos votar e queremos ter a certeza de que esse voto é confirmado da maneira como a gente colocou", disse Lira em discurso.

Vale lembrar que as urnas eletrônicas utilizadas no Brasil já são auditáveis —em 2016, após o segundo turno entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), o partido tucano solicitou auditoria das urnas.

Para Trevisan, o voto impresso pode servir de justificativa para que o próprio Bolsonaro questione o resultado das eleições, a exemplo do que foi feito pelo ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump. Apesar das acusações do republicano, ficou constatado que não houve fraude eleitoral nos Estados Unidos.

A colunista também apontou que a impressão de cédulas após o voto na urna eletrônica seria algo com muito custo. "A cada dois anos, teria um custo de bilhões [de reais]. Não vejo sentido ou por que ele [Lira] estar encampando isso nesse momento", declarou (veja a partir de 43:27).

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir Baixo Clero, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube —neste último, também em vídeo.

Política