PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Lista de investigados na CPI deve sair até 6ª e terá Pazuello, diz Randolfe

Do UOL, em São Paulo

15/06/2021 08h32Atualizada em 15/06/2021 11h09

O vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse hoje que a lista com os nomes que passarão da condição de testemunha para investigado será definida até sexta-feira (18) e "fatalmente" terá os nomes dos ex-ministros Eduardo Pazuello (Saúde) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores).

Em entrevista ao UOL News, o senador explicou que o relator Renan Calheiros (MDB-AL) está em fase de detalhamento para fazer essa mudança na condição.

"O relator compreende que nós temos que dar um salto para avançar em relação à qualificação de algumas pessoas que já deporam ou vão depor para alçar a condição de investigados ao invés de constarem como testemunha", disse.

Ele ainda está preparando a pormenorização destas circunstâncias de quem são essas pessoas, fatalmente um deles será o [Eduardo] Pazuello e o senhor Ernesto Araújo. A pretensão é até sexta-feira o senhor relator declinar quem são esses nomes para o conhecimento de todos
Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI da Fake News

Pazuello é um dos principais alvos da CPI por ter sido o ministro da Saúde durante as fases mais agudas da pandemia —ele foi demitido do cargo, em março desse ano, sob críticas de todos os lados. Araújo, por sua vez, era o chefe do Itamaraty e ficou marcado pelas provocações à China, maior parceiro comercial do país e estratégico na exportação de insumos utilizados para produção de vacinas.

Segundo Randolfe Rodrigues, as pessoas que forem designadas como investigadas passam a ser o foco da condução do inquérito por parte da comissão.

"Eles podem vir a ser objeto de outras ações à luz do Código do Processo Penal. Por exemplo, quem é tido como investigado, a CPI pode aprofundar algumas medidas em relação para obter as informações que se prevê", disse.

O senador citou buscas e apreensão e quebras de sigilo fiscal e bancários como medidas que passam a ser permitidas contra quem é investigado. Ele ainda disse que estes nomes podem ser convocados a depor novamente, mas em relação a Pazuello um novo depoimento pode não ser necessário.

"Pelo menos nós da direção da CPI já nos demos por satisfeitos em relação às informações que o senhor Pazuello prestou no depoimento em relação aos documentos que chegaram à comissão parlamentar de inquérito. Há uma constatação, pelo menos entre a maioria dos membros da CPI, que há razões suficientes para no caso do Pazuello qualificá-lo como investigado", disse.

Renan cita Wajngarten

Ontem, Renan Calheiros citou, em declaração transmitida ao Jornal Hoje, da TV Globo, os nomes de Eduardo Pazuello e Ernesto Araújo como possíveis investigados. Na ocasião, ele também de referiu a Fabio Wajngarten, ex-secretário especial de Comunicação. As declarações foram transmitidas em entrevista ao Jornal Hoje, da TV Globo.

"Vamos fazer durante a semana um despacho comunicando essa nova fase e que agora teremos vários desses que mesmo comparecendo a comissão foram tratados como testemunhas, mas agora na condição de investigados, sim. Acho que esses três [Wajngarten, Pazuello e Araújo] são fortes candidatos a constarem nessa nova relação. Isso ainda vai ser decidido durante a semana", disse Renan.

A Comissão Parlamentar de Inquérito investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais de recursos a estados e municípios para o combate da doença.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.