PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
5 meses

Kennedy: Bolsonaro tem comportamento de ditador e ameaça rebelião miliciana

Do UOL, em São Paulo

01/07/2021 18h50Atualizada em 01/07/2021 19h59

O colunista do UOL, Kennedy Alencar, declarou hoje que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem um comportamento ditador e que ameaça realizar uma rebelião miliciana caso o resultado das urnas em 2022 não sejam o esperado.

O que o Bolsonaro está ameaçando é promover algum tipo de rebelião dos seus milicianos, aliados contra um resultado legitimo aferido pela urna eletrônica. O país não pode aceitar isso. Isso é um comportamento de ditador
Kennedy Alencar

Ao UOL News, Alencar explicou que os discursos de Bolsonaro se assemelham ao do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que incitou a invasão do Congresso norte-americano por não aceitar a gestão de Joe Biden.

Ao criticar a gestão federal e o acobertamento de assuntos, Kennedy Alencar citou a falta de esclarecimentos sobre o depósito feito por Fabrício Queiroz, — amigo pessoal do presidente e ex-assessor de Flávio Bolsonaro — para a primeira-dama Michelle Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro construiu o patrimônio dele à sombra da rachadinha. Ele não consegue explicar até hoje dinheiro que Queiroz depositou na conta da primeira-dama
Kennedy Alencar

Alencar reforçou que, do ponto de vista ético, o governo Bolsonaro não tem uma "lição de moral" a dar em nenhum governo anterior, diferente do que o presidente costuma repetir aos apoiadores.

Na visão do colunista, o que acontece é um aparelhamento que impede a derrocada do governo, por "dominarem" órgãos como a Polícia Federal.

Frota diz que Lira protegerá Bolsonaro de impeachment

Na mesma edição do UOL News o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) afirmou que o presidente Jair Bolsonaro será protegido pelo presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL) contra o superpedido de impeachment apresentado ontem por políticos e entidades da sociedade civil.

Frota disse que Lira tem "na mão" mais de 300 deputados que "se venderam" para elegê-lo presidente da Câmara dos Deputados.

Esse dinheiro foi revertido em emendas para as bases desses deputados e deputadas e esse superpedido de impeachment chega em um momento muito importante, mas entendemos que por ter Arthur lira ali sentado trabalhando exclusivamente para proteger e blindar Bolsonaro fica difícil esse pedido andar
Alexandre Frota

O pedido que reúne 123 requisições contra Bolsonaro desde a posse do presidente contou com a assinatura de Frota. Ontem o parlamentar esteve no evento de entrega do documento na Câmara.

Política