PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Bolsonaro retira sonda, e médicos planejam iniciar alimentação nesta sexta

Leonardo Martins*

Do UOL, em São Paulo

15/07/2021 12h15Atualizada em 15/07/2021 23h59

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) segue internado sem previsão de alta no hospital Vila Nova Star, em São Paulo, mas mantém a evolução clínica "satisfatória", segundo último boletim divulgado pelo Palácio do Planalto. Bolsonaro já retirou a sonda nasogástrica, e os médicos planejam iniciar a alimentação nesta sexta (16).

"O senhor presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, segue internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, mantendo evolução clínica satisfatória. Desta forma, foi retirada a sonda nasogástrica e planeja-se o início da alimentação para amanhã. O presidente segue sem previsão de alta hospitalar", diz o comunicado oficial do hospital.

Bolsonaro está internado desde ontem no Hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo, para tratar uma obstrução intestinal. Os médicos estudam a necessidade ou não de uma cirurgia.

O primeiro boletim médico, divulgado na noite de ontem, informou que Bolsonaro estava internado para "tratamento clínico conservador" para os problemas intestinais, ainda sem a previsão de cirurgia de emergência e sendo submetido a uma bateria de exames.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), um dos filhos do presidente, afirmou que os médicos retiraram cerca de um litro de líquido acumulado no intestino de Bolsonaro. Isso que teria causado, diz Eduardo, fortes dores abdominais, que fizeram com que o mandatário saísse às pressas de Brasília e viesse a São Paulo.

Desde a facada que sofreu durante a campanha eleitoral em 2018, Bolsonaro foi submetido a seis cirurgias para refazer alças intestinais e diversos órgãos afetados. O presidente tem sofrido com intercorrências deste episódio e o último procedimento médico ao qual Bolsonaro foi submetido ocorreu em setembro de 2020.

Na última semana, Bolsonaro aparentou estar indisposto e com crises de soluços durante entrevistas, gravações e mesmo nas suas lives semanais, às quintas-feiras. Ele sentiu dores abdominais na madrugada de ontem e foi encaminhado pela manhã para o Hospital das Forças Armadas, em Brasília, onde fez os primeiros exames.

A decisão de levar o presidente para a capital paulista foi do médico cirurgião Antônio Luiz Macedo, responsável pelas cirurgias no abdômen do presidente da República, decorrentes do ataque de 2018.

Na manhã de hoje, três apoiadoras do presidente, com bandeiras do Brasil e de Israel, compareceram à porta do hospital para entregar presentes a Bolsonaro.

*Colaboraram Anaís Motta e Fábio Castanho

Política