PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Disse quais são minhas suspeitas para a polícia, diz Joice sobre ferimentos

Douglas Porto, Gabriel Toueg e Mariana Durães

Colaboração para o UOL, em São Paulo e em Belo Horizonte

23/07/2021 18h45Atualizada em 23/07/2021 20h10

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) disse que prestou depoimento à Polícia Legislativa hoje sobre após ter acordado cheia de fraturas e hematomas em seu apartamento funcional, em Brasília. O caso, segundo ela, pode ter sido um "atentado". A parlamentar disse que informou aos policiais quais são suas suspeitas para o ocorrido.

"Eu tenho minhas suspeitas, é claro que eu tenho, e hoje eu disse quais são minhas suspeitas à polícia. Então agora isso vai ser investigado."

"Isso não é coisa de amador. Se alguém entrou aqui em casa, sabe que eu dormia em um quarto e meu marido em outro, distante do meu, sabe que eu tomava remédio para dormir. Sabe os procedimentos da casa, sabe que eu dispenso a segurança enquanto eu estou, de noite, no meu apartamento", afirmou, em entrevista no UOL News, com os jornalistas Diego Sarza, Lucas Valença e Maria Carolina Trevisan.

Joice disse, também, que já pediu acesso às gravações das câmeras de segurança do prédio, mas que há locais que não são observados, como a porta do apartamento e as escadas.

"Eu não sabia disso. Como não tem câmara se é um imóvel público? Não tem porque os deputados querem privacidade. Quer privacidade? Então vai para um imóvel privado. Isso aqui é um imóvel público, todo mundo tem que saber quem entra e quem sai."

Uma das suspeitas da deputada é que o imóvel tenha sido invadido para ela ser agredida, na madrugada do último sábado (17) para domingo.

A possibilidade, segundo ela, é que seja uma pessoa com a uma cópia da chave, ou que tenha se escondido na casa, já que três cômodos "nunca foram usados, porque o apartamento é antigo e grande". Outra hipótese levantada por Joice é de que alguém tenha se escondido "no apartamento de outro parlamentar" com a "ajuda de alguém".

A deputada diz não estar assustada, mas que o caso preocupou a família.

Segundo a deputada, ela esperou alguns dias para falar do caso porque, antes de realizar todos os exames e ter os resultados em mãos, acreditava se tratar de um acidente doméstico. Foi com os comentários e questionamentos do médico que ela percebeu ser "uma coisa grave".

"Quando eu vi os laudos, eu fiquei apavorada. Falei: 'Meu Deus, como eu posso ter caído e quebrado ao mesmo tempo seis lugares diferentes?'. É quase impossível", explicou, e completou: "Eu sou uma pessoa pública, não tenho o direito de segurar essa informação, por mais que eu me exponha".

Na ocasião, segundo a parlamentar, ela acordou no chão, em uma poça de sangue, com diversos machucados no rosto e corpo, e dois dentes quebrados. Para ser socorrida, Joice disse que precisou se arrastar para alcançar o celular e ligar para o marido, o neurocirurgião Daniel França, que dormia em outro quarto.

Ela disse que não apontaria seus suspeitos enquanto não tiver prova. "Eu seria muito irresponsável se eu citasse algum desafeto. Todo mundo sabe quem são meus desafetos políticos pelo nível mais sórdido que a gente tem enfrentado da política brasileira. Mas eu não posso fazer como eles, como o próprio presidente da República, culpando Fulano de Tal, dizendo que é de partido tal", afirmou.

Política