PUBLICIDADE
Topo

Política

Estou em busca de respostas, diz Joice após ferimentos

Douglas Porto, Gabriel Toueg e Mariana Durães

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte e São Paulo

23/07/2021 19h13Atualizada em 23/07/2021 19h57

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) disse que está "em busca de respostas" após ter acordado cheia de fraturas e hematomas em seu apartamento funcional, em Brasília. Ela disse que não descarta ter acontecido um atentado contra sua vida, já que sofreu diversas ameaças durante sua carreira parlamentar. "Essas respostas precisam vir à tona."

"Pedi imagens de segurança do apartamento funcional", disse, durante a edição do UOL News de hoje à noite, com os jornalistas Diego Sarza, Maria Carolina Trevisan e Lucas Valença.

Para a parlamentar, o ataque "não foi coisa de amador". "Deixei claro, no depoimento à Polícia Legislativa [feito hoje], que [o ataque] não é coisa de amador. Quem entrou no meu quarto sabe que eu durmo em um quarto e meu marido dorme distante do meu, sabe que eu tomo remédio para dormir, sabe os procedimentos da casa, sabe que eu dispenso a segurança enquanto estou de noite no meu apartamento", contou.

Ou é alguém que tinha cópia da minha chave, ou é alguém que se escondeu aqui dentro. [O apartamento] tem três cômodos que nunca foram usados. Ou é alguém que se escondeu em algum apartamento [vizinho] de algum parlamentar, aí teve ajuda de alguém. Essas respostas precisam vir à tona. Supostamente, [quando] estou em um apartamento público, [estou] em segurança.
Joice Hasselmann, deputada federal

A parlamentar disse não estar assustada com o ocorrido. "Se a ideia era me assustar, não conseguiram", disse. "Minha família está desesperada, minha mãe está desesperada, meus filhos estão desesperados, meu marido está de novo querendo que eu saia do Brasil, porque é só nisso que ele fala toda vez que acontece alguma ameaça. Mas eu não estou", disse. "Se a ideia era tentar algo pior do que me machucar, também falharam nisso", disse.

"Eu creio que a gente vai chegar a uma resposta", afirmou a deputada, que depôs hoje à tarde à Polícia Legislativa sobre o ocorrido.

"Tive que me arrastar"

Na entrevista, Hasselmann narrou ainda os momentos após acordar e descobrir os ferimentos. Segundo a deputada, ela precisou se arrastar para alcançar o celular e ligar para o marido.

Ela contou que acordou em uma poça de sangue, com um galo na cabeça e dois dentes quebrados. "É uma coisa terrível, eu estava sentindo muita dor, mas não imaginei que estivesse com cinco fraturas no rosto, duas fraturas no nariz, duas fraturas na região que recebe o globo ocular e fratura na coluna, numa vértebra chamada C-7", afirmou.

"Da parte dos exames é que surgiu essa suspeita da impossibilidade de eu ter caído muitas vezes e pelo galo da cabeça, é tudo suposição, a gente não tem prova de nada, ainda mais por eu não lembrar."

Política