PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Após críticas de Bolsonaro, Mourão diz que é 'extremamente leal a ele'

Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão durante evento em julho; vice minimiza críticas de presidente - Reprodução/Twitter/General Hamilton Mourão
Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão durante evento em julho; vice minimiza críticas de presidente Imagem: Reprodução/Twitter/General Hamilton Mourão

Do UOL, em São Paulo

02/08/2021 14h22

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse hoje que é extremamente leal ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), apesar de receber críticas recorrentes do chefe do Executivo desde a última semana.

Em entrevista na chegada ao Palácio do Planalto exibida pela CNN, Mourão disse que não comenta as falas de Bolsonaro, mas que continua à disposição em caso de ser necessidade.

"Eu não comento falas do presidente Bolsonaro. Presidente tem a visão dele, mas ele sabe que eu sou extremamente leal a ele, as ideias que nós temos de como melhorar o nosso país e ele sabe que conta comigo para qualquer coisa que for necessário. Ele sabe disso", disse.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou, em entrevista à rádio Arapuan FM, que Mourão "atrapalha um pouco" e o comparou a um cunhado: "você casa e tem que aturar o cunhado do teu lado, não pode mandar o cunhado embora", disse.

Hoje, em entrevista à rádio ABC, o presidente refez o discurso sobre o seu vice, adicionando que às vezes ele "atropela o governo".

"O Mourão não tem atrapalhado. De vez em quando ele fala alguma coisa que vai de encontro aos interesses do governo, mas faz parte da regra do jogo. Não podemos ter um vice também que se esconda de tudo. Ele dá sua opinião, às vezes atropela o governo, mas a gente vai convivendo sem maiores problemas", disse.

Questionado sobre a nova fala de Bolsonaro, Mourão minimizou. "Não atropelo o governo até porque eu não tenho ingerência nenhuma das decisões que o governo toma, muito pelo contrário".

O governo Bolsonaro teve início em 1º de janeiro de 2019, com a posse do presidente Jair Bolsonaro (então no PSL) e de seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB). Ao longo de seu mandato, Bolsonaro saiu do PSL e ficou sem partido. Os ministérios contam com alta participação de militares. Bolsonaro coloca seu alinhamento político à direita e entre os conservadores nos costumes.