PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Kennedy: Bolsonaro sabe que vai perder eleição e tenta justificar golpe

Do UOL, em São Paulo

02/08/2021 10h07Atualizada em 02/08/2021 10h43

O colunista do UOL Kennedy Alencar afirmou hoje que o discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) contra a urna eletrônica e em favor do voto impresso auditável é uma estratégia de quem já sabe que vai perder as eleições e para, eventualmente, tentar algum tipo de golpe para se manter no poder.

"Bolsonaro sabe que voto é seguro e que ele já é auditável, mas está mentindo para a base dele para criar uma justificativa porque sabe que vai perder a eleição e, eventualmente, tentar arrumar uma justificativa para algum tipo de golpe", declarou Kennedy em participação no UOL News Manhã.

Ontem, Bolsonaro participou de forma virtual de diversas manifestações pelo país e fez discurso defendendo o voto impresso e ameaçando as eleições do ano que vem. Na última quinta-feira (29), durante live nas redes sociais, o presidente repetiu uma série de mentiras para atacar a urna eletrônica e alegar fraude.

Utilizada de forma parcial nas eleições de 1996 e 1998 e integralmente a partir de 2000, a urna eletrônica é confiável e nunca houve fraude comprovada.

De acordo com o colunista do UOL, Bolsonaro repete a estratégia do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que, atrás nas pesquisas de intenção de voto, passou a atacar o sistema eleitoral americano e o voto pelo correio.

Kennedy afirmou ainda que Bolsonaro pode estar mobilizando sua base de apoio para tentar promover no Brasil um episódio semelhante à invasão ao Congresso dos Estados Unidos por parte de seguidores de Trump, ocorrida em 6 de janeiro.

"A gente não pode descartar a tentativa de Bolsonaro de repetir algo assim, porque ele procura enfraquecer a democracia o tempo inteiro. A gente tem de estar alerta e combater isso o tempo inteiro. Ele não tem poder para impedir eleição no Brasil no ano que vem, elas vão acontecer e vai ter de respeitar o voto da urna eletrônica", declarou.

Política