PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Justiça nega pedido de Flordelis para retirar tornozeleira eletrônica

Flordelis é acusada de ser a mandante do assassinato do marido - Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Flordelis é acusada de ser a mandante do assassinato do marido Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Colaboração para o UOL

12/08/2021 15h01

A Justiça do Rio negou o pedido da defesa da ex-deputada federal Flordelis para retirada da tornozeleira eletrônica. Ela tem sido monitorada pelo equipamento desde o ano passado.

A decisão é do desembargador Celso Ferreira Filho, do TJRJ (Tribunal de Justiça do Rio). O magistrado explica que a defesa de Flordelis não apresentou elementos suficientes que justificassem a suspensão imediata da medida, além de terem repetido argumentos já apresentados e apreciados em outro pedido de habeas corpus.

Flordelis é acusada pelo MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019, em Niterói (RJ). Com isso, ela se tornou ré por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Ontem, a Câmara dos Deputados aprovou a cassação do mandato dela por quebra de decoro parlamentar. Foram 437 votos a favor e 7 contra, além de 12 abstenções. Com a decisão, Flordelis também fica inelegível por determinação da Lei da Ficha Limpa.

Política