PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Apenas 7 deputados votaram contra cassação de Flordelis; veja quem são

Glauber Braga, que votou "não", explicou que apoiar a cassação seria incoerente com o que defende - Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Glauber Braga, que votou "não", explicou que apoiar a cassação seria incoerente com o que defende Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Do UOL, em São Paulo

11/08/2021 19h21Atualizada em 12/08/2021 10h44

Somente sete deputados federais votaram contra a cassação de Flordelis (PSD-RJ) por quebra de decoro parlamentar, que hoje recebeu outros 437 votos favoráveis no plenário da Câmara. Houve ainda 12 abstenções.

Flordelis é acusada pelo MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019, em Niterói (RJ). Atualmente, ela é ré por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Os sete parlamentares contrários à perda do mandato são de cinco partidos e cinco estados diferentes. Nenhum deles é do partido de Flordelis — PSD —, mas dois foram eleitos pelo mesmo estado — Rio de Janeiro — da agora ex-deputada. São eles:

  • Carlos Gaguim (DEM-TO)
  • Dimas Fabiano (PP-MG)
  • Fausto Pinato (PP-SP)
  • Glauber Braga (PSOL-RJ)
  • Jorge Braz (Republicanos-RJ)
  • Leda Sadala (Avante-AP)
  • Maria Rosas (Republicanos-SP)

O deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), que votou "não", explicou que apoiar a cassação de Flordelis seria incoerente com a agenda antipunitivista — isto é, contrário à ideia de que a prisão é a melhor forma de punir quem comete crimes — que defende.

"O argumento que será utilizado é que, neste caso, a avaliação era sobre quebra de decoro. Não vi os elementos comprovados (a dúvida já é motivo pra não votar 'sim'), e a consequência prática é que deverá sair um pedido de preventiva e o destino será o cárcere antes do julgamento", escreveu ele em uma rede social.

Poderia votar 'Sim'? Poderia. Politicamente é o que geraria menos desgaste? Com certeza. Eu me sentiria bem? Não. Me sentiria covarde por estar caminhando contra as minhas convicções. Nem no dia do advogado, nem em nenhum outro dia é o exemplo que quero dar pro meu filho.
Glauber Braga, deputado federal

Abstenções

Já entre os 12 que se abstiveram, estão três correligionários de Flordelis — um deles do Rio, estado da ex-deputada. Confira a lista:

  • Dulce Miranda (MDB-TO)
  • Eli Borges (Solidariedade-TO)
  • Gutemberg Reis (MDB-RJ)
  • Haroldo Cathedral (PSD-RR)
  • Hugo Leal (PSD-RJ)
  • Jefferson Campos (PSB-SP)
  • Laerte Bessa (PL-DF)
  • Márcio Labre (PSL-RJ)
  • Paulo Ramos (PDT-RJ)
  • Marco Feliciano (Republicanos-SP)
  • Stefano Aguiar (PSD-MG)
  • Tiririca (PL-SP)

Flordelis se defende

Agora cassada, Flordelis reafirmou sua inocência no plenário da Câmara dos Deputados, argumentando que não deveria "pagar pelos erros de ninguém". Ela também pediu que fosse julgada pelo povo, e não pelos deputados, e disse que toda sua família estava sendo criminalizada por sua causa.

"Que eu seja julgada pelo povo, retirada daqui pelo mesmo povo que me colocou aqui nesse lugar", declarou Flordelis, antes da votação. "Eu não posso e não devo pagar pelos erros de ninguém."

Caso eu saia daqui hoje, saio de cabeça erguida porque sei que sou inocente. Todos saberão que sou inocente, a minha inocência será provada e vou continuar lutando para garantir a minha liberdade, a liberdade dos meus filhos e da minha família, que está sendo injustiçada.
Flordelis, no plenário da Câmara

Política