PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

7/9: sem oposição da PM, militantes pró-Bolsonaro tomam Esplanada

Do UOL, em São Paulo e Brasília

06/09/2021 21h46Atualizada em 07/09/2021 00h04

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) avançaram sobre a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, na noite de hoje (6), sem qualquer sinal de oposição da Polícia Militar do Distrito Federal apesar da previsão de bloqueio da via na véspera dos atos pró-governo previstos para o feriado de 7 de setembro. Em entrevistas na última semana, Bolsonaro afirmou que vai ao ato na Esplanada, onde deve discursar.

Um vídeo publicado no Twitter por volta das 22h mostrava o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, circulando entre os manifestantes que furaram a barreira policial. A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, também posou para fotos ao lado dos manifestantes, conforme vídeo publicado por ela nas redes sociais.

No Twitter, o ministro da CGU (Controladoria-Geral da União), Wagner Rosário, postou um vídeo da invasão da Esplanada e disse que era "lindo ver Brasília ser tomada por pessoas de bem".

Na mesma rede social, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) afirmou que alertou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), sobre a necessidade de reforço no policiamento e aludiu à invasão do Capitólio, o prédio do Congresso dos EUA, em janeiro por apoiadores do então presidente Donald Trump.

Em nota, a Secretaria de Segurança do Distrito Federal (SSP-DF) disse que a Polícia Militar do Distrito Federal "encontra-se no local para reestabelecer a situação", e a Praça dos Três Poderes permanece interditada por gradil e linha de policiais.

Ainda segundo a SSP, em reuniões com organizadores das manifestações, "ficou definido que os maquinários autorizados a participar do ato popular estariam liberados para serem estacionados ao longo da via N1, na madrugada de terça-feira (7). Importante ressaltar que a autorização permitia apenas exposição dos veículos, como já realizado anteriormente em outras manifestações."

A secretaria não explicou como ocorreu o rompimento das barreiras pelos manifestantes, nem se houve alguma oposição de policiais à invasão.

Em nota enviada à reportagem pouco antes das 21h, a Polícia Militar do Distrito Federal afirmou que "a entrada daqueles caminhões estava permitida a partir da 00h, tendo sido negociado com a SSP [Secretaria de Segurança Pública]". A corporação disse também que "eles queriam antecipar a entrada e está sendo negociada esta possibilidade".

Enquanto a PM ainda tratava a entrada dos militantes como uma "possibilidade", por volta de 20h30 já começavam a circular vídeos nas redes sociais e no WhatsApp mostrando caminhões acompanhados por dezenas de militantes pró-governo avançando pela Esplanada. Alguns vídeos divulgados perto das 21h já mostravam os manifestantes bem próximos da Praça dos Três Poderes, onde ficam o Palácio do Planalto (sede do Poder Executivo), o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal.

Barreiras desmontadas e PM cercado

Um vídeo divulgado no Twitter pela coluna "Radar", da revista "Veja", mostra militantes pró-Bolsonaro desmontando as barreiras colocadas pela PM sem qualquer interferência (veja abaixo).

Outro vídeo que circula nas redes e recebido pelo UOL mostra um policial militar de arma em punho, cercado de manifestantes, tentando se afastar de um grupo de pessoas.

"Baixa a arma! Baixa a arma", grita um homem não identificado na gravação.

Em outro vídeo, um homem mostra a área do Eixo Monumental próxima à Rodoviária de Brasília, no acesso à Esplanada dos Ministérios, tomada de veículos.

"Os caras nesse momento acabaram de furar o bloqueio para carros na Esplanada. Furaram e estão entrando. Caminhões, carros e pessoas", diz o narrador, que não se identifica, com o som de muitas buzinas ao fundo.

Brasília também terá protesto contra Bolsonaro

Assim como outras cidades brasileiras, a capital federal terá atos contra e a favor de Bolsonaro neste dia 7. Em Brasília, três quilômetros separam os locais das manifestações.

Apoiadores do governo, que devem estar em maioria, de acordo com previsão da polícia, ocuparão a Esplanada e caminharão em direção à praça dos Três Poderes (onde ficam o Congresso e o Supremo). Já manifestantes que compõem o chamado Grito dos Excluídos (movimentos sociais, partidos de esquerda e outros) vão se concentrar na região da Torre de TV, na região central do Plano Piloto.

O governo do Distrito Federal disse que destinará um contingente de 5.000 agentes policiais para a cobertura dos atos. Para evitar que haja aproximação entre militâncias rivais, a PM pretende posicionar agentes ao longo de toda a Esplanada e reforçar o efetivo perto das sedes dos Poderes. A praça dos Três Poderes permanecerá fechada durante todo o dia.

A polícia também previa implantar uma barreira de revista no espaço entre a concentração dos manifestantes e o acesso à Esplanada, para impedir a entrada de objetos que possam ser utilizados como arma branca — como garrafas de vidro e pedaços de ferro ou madeira. Álcool líquido também não será permitido (apenas álcool gel). No entanto, com o rompimento do bloqueio ocorrido na noite de hoje, não está claro se essa estratégia de revista ainda será possível.

Política