PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Senador Alessandro Vieira pede nova convocação de Queiroga à CPI da Covid

Alessandro Vieira solicita presença de Queiroga na CPI da Covid - Pedro França/Agência Senado
Alessandro Vieira solicita presença de Queiroga na CPI da Covid Imagem: Pedro França/Agência Senado

Colaboração para UOL

16/09/2021 20h53Atualizada em 16/09/2021 21h34

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) disse hoje em uma rede social que apresentou um requerimento para convocação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na CPI da Covid. O ministro do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) já foi duas vezes à Comissão do Senado para depor.

"Apresentei na CPI requerimento de convocação do ministro da Saúde, para que ele explique com clareza a questão da vacinação de adolescentes e também o plano de vacinação para 2022. Não é aceitável que a maior autoridade de saúde do país se manifeste de forma vaga e alarmista", disse o ministro na publicação.

Em entrevista coletiva hoje à tarde, Queiroga afirmou que a vacina para adolescentes e idosos foi aplicada mais cedo pelos governadores e prefeitos.

O ministro da Saúde ainda afirmou que a aplicação da vacina contra covid-19 em adolescentes foi feita de maneira "intempestiva" e criticou estados por não seguirem as orientações federais.

Vacinação em adolescentes

O Ministério da Saúde suspendeu a vacinação para adolescentes sem comorbidades. Alguns estados já estavam aplicando o imunizante nessa população, enquanto outros previam começar ainda essa semana.

A nova orientação prevê que a vacina só seja aplicada em pessoas entre 12 e 17 anos que tenham "deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade".

A decisão estaria embasada nas orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde) de não recomendar a imunização desse grupo, pelo número baixo de casos graves e pelos poucos estudos sobre a vacinação nessa faixa etária.

A nota também cita que houve redução na média móvel de casos e mortes por covid, o que torna o cenário epidemiológico menos perigoso para os adolescentes sem comorbidades.

O anúncio da suspensão ocorre em meio a falta de estoque de certas vacinas em alguns pontos do Brasil, como São Paulo, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, até então, era favorável à vacinação de adolescentes e havia previsto o início da imunização para todos os jovens assim que os adultos tivessem a primeira dose.

Política