PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Kassab diz que portas do PSD 'estão abertas' para Alckmin

Colaboração para o UOL, no Rio

20/09/2021 09h28Atualizada em 20/09/2021 10h56

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, disse hoje no UOL News que o partido vai apoiar a possível candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) ao Governo de São Paulo nas eleições do ano que vem. Kassab não confirmou, no entanto, a ida do ex-governador paulista para sua legenda.

A saída de Alckmin do PSDB, cuja sigla ajudou a fundar, é dada como certa no meio político. No último dia 28 de agosto, o ex-governador de São Paulo chegou a participar de um evento eleitoral do PSD, que foi marcado por críticas à gestão tucana de João Doria.

"Reconhecemos o Geraldo Alckmin como um bom quadro da vida pública, um bom gestor, uma pessoa correta, austera, de conduta ilibada, que terá o apoio do PSD para o governo de São Paulo, diante da declaração já reiterada várias vezes em reunião de que ele será candidato a governador", disse Kassab.

Kassab afirmou que o PSD convidou Alckmin para integrar sua legenda. O político disse que a decisão de apoiar o ex-governador nas eleições do ano que vem é "irreversível".

Deixamos claro sempre para ele que as nossas portas estão abertas, mas não posso falar por ele, nem de saída do PSDB, nem filiação em novo partido
Gilberto Kassab

O presidente nacional do PSD minimizou a rejeição que Alckmin tem no estado de São Paulo, de acordo com pesquisa do Datafolha divulgada ontem. Segundo levantamento, 35% dos entrevistados disseram que não votariam no tucano para o governo do estado.

Os números do Datafolha mostram também rejeição de 34% a Fernando Haddad (PT), 27% a Guilherme Boulos (PSOL), 20% a Arthur do Val, o Mamãe Falei (Patriota), e Márcio França (PSB), e 17% a Rodrigo Garcia (PSDB).

"Toda personalidade conhecida, quando inicia um processo eleitoral com uma rejeição alta, tem uma tendência de cair essa rejeição ao longo da campanha. Rejeição sempre é algo comparativo. Nesse quadro de candidaturas, tenho plena confiança de que o Geraldo vai subir ao longo do tempo, da pré-campanha já; e ao subir, sua rejeição vai baixar", afirmou Kassab.

Críticas a Doria

Já vendo João Doria como seu adversário político nas eleições de 2022, já que o tucano é pré-candidato à Presidência da República, Kassab fez duras críticas ao atual governador de São Paulo. O presidente nacional do PSD igualou Doria ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao citar políticos que foram enfraquecidos por causa da pandemia do novo coronavírus.

Ficou claro para as pessoas que ele quis tirar proveito dessa pandemia e isso causou uma impressão muito mal
Gilberto Kassab

Kassab afirmou que Doria quis tirar proveito das ações do Instituto Butantan no desenvolvimento da CoronaVac. Para ele, o tucano exagerou na dose.

"O João Doria, numa visita (ao Butantan) que poderia ser de cinco minutos, a transformou em uma novela de 500 capítulos com duração de duas horas cada, o que cansou e deixou os eleitores com a pulga atrás da orelha", disse Kassab.

Política