PUBLICIDADE
Topo

Senadores trocam farpas em CPI com xingamentos de "picareta" e "vagabundo"

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

23/09/2021 11h43Atualizada em 23/09/2021 17h22

Senadores da CPI da Covid trocaram xingamentos durante a audiência de hoje, marcada para ouvir o diretor institucional da Precisa Medicamentos, Danilo Trento. Durante o depoimento, o relator do colegiado, Renan Calheiros (MDB-AL), fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Aliado do governo, Jorginho Mello (PL-SC) se mostrou contrariado e rebateu.

Calheiros disse então que não aceitava ser interrompido pelo colega. "Vá para os quintos", declarou o parlamentar governista, em tom indignado.

A partir daí, os dois elevaram a temperatura da discussão e começaram a trocar xingamentos. Calheiros chamou Mello de "vagabundo" e ouviu do catarinense adjetivos como "picareta" e "ladrão".

O microfone da sala da CPI foi cortado em razão da discussão. Irritado, Renan desceu da mesa diretora e se dirigiu ao encontro do colega. O clima ficou ainda mais hostil, com possibilidade de agressão física mútua. Outros senadores, no entanto, intervieram e providenciaram o distanciamento entre os dois.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.