PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Ciro Nogueira diz que é provável que Bolsonaro se filie ao Progressistas

Bolsonaro terá que se filiar até abril do ano que vem para poder disputar as eleições presidenciais - Adriano Machado/Reuters
Bolsonaro terá que se filiar até abril do ano que vem para poder disputar as eleições presidenciais Imagem: Adriano Machado/Reuters

Do UOL, em São Paulo

25/09/2021 22h38

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, diz que o partido mais provável a receber o presidente Jair Bolsonaro é o Progressistas, o mesmo que o seu. O PP também é um partido ao qual Bolsonaro já foi filiado por mais de 10 anos.

A informação foi enviada por Nogueira ao Estadão e à coluna do jornalista Guilherme Amado, no Metrópoles. "Hoje o partido mais perto do presidente se filiar eu 'ACHO' que é o Progressistas", disse o ministro ao Estadão por mensagem de texto.

A coluna de Guilherme Amado, porém, apurou que o ministro poderia estar dizendo a interlocutores que o Progressistas não quer mais filiar Bolsonaro. Segundo o jornalista, isso se deve à possível perda de poder de Nogueira dentro da legenda com a entrada do presidente e à impossibilidade de romper com ele, caso ele continue perdendo apoio, mas esteja na sigla.

A informação foi desmentida pelo próprio Nogueira, que disse ao Metrópoles que o partido é o "favorito" para receber a filiação.

Bolsonaro se elegeu pelo PSL, mas deixou o partido em novembro de 2019 após uma disputa interna de poder. Desde então, ele não está em nenhuma legenda, mas terá que se filiar até abril do ano que vem para poder disputar as eleições presidenciais.

Ao anunciar sua saída do PSL, o presidente disse que criaria uma nova legenda, o Aliança pelo Brasil, mas até hoje ela não foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Com a dificuldade da criação da nova sigla, começou a se especular qual partido abrigaria Bolsonaro para as eleições. Seu filho mais velho e senador, Flávio Bolsonaro, se filiou ao Patriota em maio deste ano, em um movimento que era visto como uma preparação para a entrada do presidente. A filiação, no entanto, causou um racha na direção da legenda.

Além de Progressistas e Patriota, PL, Republicanos e PTB já foram considerados como possíveis destinos de Bolsonaro.

Política