PUBLICIDADE
Topo

Política

Em uma semana, PSDB tem só 1.400 inscritos para definir candidato em 2022

19.out.21 - Governadores João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio (AM) participam do primeiro debate das prévias do PSDB, mediado por Vera Magalhães - Reprodução
19.out.21 - Governadores João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio (AM) participam do primeiro debate das prévias do PSDB, mediado por Vera Magalhães Imagem: Reprodução

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

21/10/2021 04h00

Hoje, completa-se uma semana desde que o aplicativo para votação nas prévias do PSDB foi lançado, mas, até ontem, somente 1.418 pessoas haviam se cadastrado para participar do pleito. O número está bem abaixo do total de filiados no partido, com 1,3 milhão de registrados no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Concorrem à indicação o governador de São Paulo, João Doria, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o ex-senador Arthur Virgílio Neto. O aplicativo ficará disponível para inscrição da militância até 14 de novembro. O primeiro turno das prévias está marcado para 21 de novembro. Caso seja necessário um segundo turno, será realizado no dia 28 do mesmo mês.

Militantes tucanos têm feito uma série de reclamações a respeito do programa. As principais são dificuldades em finalizar o cadastro, falta de respostas na central de dúvidas e o fato de a versão para iPhone ainda não estar liberada para download. A escolha do candidato do PSDB à Presidência da República em 2022 deve ser feita por filiados, vereadores e deputados estaduais através do app —eles representam 99,9% dos votantes.

A assessoria do partido disse que as prévias são um processo novo e o número de cadastrados até o momento não preocupa. Também foi informado que a Apple pediu alguns esclarecimentos antes de liberar o aplicativo para download. As questões foram respondidas, mas ainda não há prazo para que saia a disponibilização aos usuários de iPhone.

O resultado é que, completada uma semana do início do prazo de inscrição, somente 0,1% dos aptos a votar se cadastrou. A baixa adesão dificulta um dos desejos da comissão das prévias que é gerar envolvimento das bases com o futuro candidato à Presidência.

O raciocínio é que o método tradicional do PSDB de escolher o nome a presidente durante um jantar de caciques num restaurante de São Paulo não criava engajamento e abria espaço para traições. O histórico de eleições presidenciais mostra que Fernando Collor, Jair Bolsonaro e até Lula contaram com tucanos em suas fileiras de apoiadores.

Prévias PSDB - Arte/ UOL - Arte/ UOL
Imagem: Arte/ UOL

Para aumentar a participação da base, a programação do PSDB prevê campanha de conscientização nas próximas semanas. A expectativa é que a partir de novembro mais filiados completem o cadastro.

Por enquanto, a adesão ao aplicativo também é baixa até no maior ninho tucano. Em São Paulo, eram 683 pessoas cadastradas até ontem. O estado é aquele com maior militância do PSDB no Brasil e, de acordo com o TSE, possui 298.005 filiados —ou o equivalente a 22% do total no país.

A lentidão na procura pelo app pegou de surpresa até o presidente do PSDB em São Paulo, Marco Vinholi. Ele é secretário de Desenvolvimento Regional de Doria e está a frente da campanha dele nas prévias. Ao ser perguntado sobre os 435 inscritos no aplicativo na última terça-feira, ele chegou a considerar a informação como errada.

Diante da confirmação pela Executiva nacional da legenda de que o número estava correto, Vinholi preferiu não fazer mais comentários, justificando que não tinha conhecimento dos números.

A Folha de S.Paulo publicou que pessoas ligadas a Doria levantaram desconfianças a respeito do aplicativo. Mas, durante o primeiro debate nas prévias, o governador de São Paulo manifestou sua confiança no app.

Política