PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

CPI desmontou imagem de Bolsonaro como líder, diz senador Otto Alencar

Colaboração para o UOL, no Rio

27/10/2021 08h36Atualizada em 27/10/2021 12h42

O senador Otto Alencar (PSD-BA) disse no UOL News desta manhã que a CPI da Covid desmontou a imagem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de líder que iria resolver os problemas do país.

Integrante da comissão que funcionou por cerca de seis meses no Senado, Otto afirmou que o chefe do Executivo do país usou da mentira para tentar desqualificar os trabalhos do colegiado.

"De mito, ele passou a minto... A CPI desmontou a imagem daquele líder que trabalhava pelo povo, que ia resolver o problema do Brasil, e que não resolveu absolutamente item nenhum", disse o senador.

Otto diz que Bolsonaro mentiu para querer desqualificar a comissão e voltar a ter popularidade. Para o senador, o chefe do Executivo do país "briga com a verdade".

Ele começou a ter perda de popularidade. A vida das pessoas é muito mais importante do que absolutamente tudo. Além disso, ele esqueceu das outras ações, batendo nas fake news nas lives que faz, e foi perdendo esse conceito de que era uma pessoa que trazia a verdade
Otto Alencar

Relatório na PGR

O senador afirmou que acredita que o procurador-geral da República, Augusto Aras, dará prosseguimento ao relatório da CPI em relação às pessoas que têm foro privilegiado, como Bolsonaro. Ele disse que a PGR (Procuradoria-Geral da República) terá acesso aos vídeos, áudios, e-mails e demais documentos que a comissão conseguiu reunir.

"Vamos ficar vigilantes para que isso tenha o caminho da apreciação de acordo com a lei. Temos um relatório que tem provas, são irrefutáveis. Um relatório robusto", disse Otto.

O senador afirmou que é preciso "infernizar" as autoridades e instituições que não derem prosseguimento ao documento produzido pela CPI. Para ele, a comissão mostrou o lado "negativo e incompetente" do Ministério da Saúde e de Bolsonaro.

Tivemos força e coragem para enfrentar uma máquina poderosa, de mentira, falta de verdade... de todos que usam esse método agora para disseminar o ódio, a raiva, a intolerância
Otto Alencar

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.