PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Renan: Governo será lembrado no 'mais baixo degrau da indigência humana'

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, durante sessão da comissão - Pedro França/Agência Senado
O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, durante sessão da comissão Imagem: Pedro França/Agência Senado

Do UOL, em São Paulo

26/10/2021 22h04

Autor do relatório final da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB) disse hoje que a Comissão foi "histórica". Disse, também, que o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) será lembrado no "mais baixo degrau da indigência humana e civilizatória".

"O maior mérito dessa CPI foi existir, funcionar e iluminar as catacumbas da inoperância, da má-fé, da desonestidade e da morte", escreveu em uma publicação no Twitter.

O texto aprovado hoje sugere o indiciamento de 78 pessoas, entre os quais o presidente da república e três dos filhos dele. Também há a indicação de duas empresas por crimes cometidos durante a pandemia.

Com novas inclusões de pedidos de indiciamentos, o relatório final chegou a 1.288 páginas. Foram 7 votos a favor e 4 contra.

Ao fim da sessão, após a aprovação do texto, os senadores ficaram em pé e fizeram um minuto de silêncio em homenagem às mais de 605 mil vítimas da covid-19 no Brasil, até o momento.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.